Exposições
Comemorativas
dos 450 Anos
Rio Setecentista - Quando
o Rio Virou Capital
O Rio de Debret
Coleção Castro Maya
Kurt Klagsburn - Um
Fotógrafo Humanista no Rio
e Marcos Chaves Paisagens
não Vistas
Guinard e o Oriente - Entre
o Rio e Minas e As
Primeiras Cores do Rio
A Muito Leal e Heróica
Cidade de São Sebastião
do Rio de Janeiro
Outras Exposições

GUINARD E O ORIENTE - ENTRE O RIO E MINAS E

AS PRIMEIRAS CORES DO RIO



Guinard e o Oriente - Entre o Rio e Minas

"Outra importante exposicão apresentada no Museu de Arte do Rio - MAR, em homenagem ao aniversário da cidade, foi: Guinard e o Oriente, entre o Rio e Minas, com curadoria de Priscilla Freire, Marcelo Campos e Paulo Herhehoff. Alberto Veiga Guinard nasceu em Nova Friburgo, no Rio de Janeiro e faleceu em Belo Horizonte em 1962. Em seu horizonte sempre esteve presente a montanha: no Rio vivenciando a montanha e o mar que lhe é peculiar e que se faz presente em muitas de suas obras, sempre representada em formas expressionistas de espaço mágico em que flutuavam outras formas emblemáticas, como igrejinhas e balões juninos.

Guinard mudou-se para a Europa em 1907, o que possibilitou que viesse a frequentar em dois períodos a Real Academia de Belas Artes de Munique. Depois aperfeiçoou seus estudos em Florença e Paris. Em 1930 isntalou seu atelier no Jardim Botânico que foi por ele retratado em diversas obras. Em 1944 mudou-se para Minas Gerais, a convite do prefeito de Belo Horizonte Juscelino Kubitscheck, para criar uma escola de arte. Em Minas teve a oportunuidade de se aproximar das cidades históricas e a paisagem montanhosa mais um vez seduziu-o. Guinard fundiu céu e montanha ao tratar das nuvens e morros com a técnica de Leonardo da Vinci do "esfumato".

A mostra reúne pinturas, desenhos, objetos, documentos, gravuras e outras peças que estabelecem o quanto o artista teve influência das referências e iconografia oriental, associadas ao barroco brasileiro e a estética colonial".


As fotos acima mostram a abertura da exposição e as salas onde as obras foram expostas, a última foto apresenta dois quadros: Alberto da Veiga Guinard.
Paisagem imaginária
. Óleo sobre madeira. O primeiro de Coleção Particular e o segundo de 1941 da Coleção Hecilda e Sergio Fadel.

Adriana Varejão, Panorama da Guanabara, 2012. Óleo sobre tela e resina. Col. da artista. Arthur Timótheo da Costa. Praça Floriano, 1918. Óleo sobre tela.
Col. Hecilda e Sergio Fadel. Giovanni Battista Castagneto. Praia e Igreja de Santa Luzia, 1884. Óleo sobre tela. Col. MAR - Fundo Z.

A primeira foto mostra a sala de exposição de dois grandes quadros de Guinard, os outros dois mostram os quadros separadamente: Alberto da Veiga Guinard.
Floresta ao Entardecer, 1943
. Óleo sobre tela. Col. Hecilda e Sergio Fadel. Alberto da Veiga Guinard. Floresta ao Amanhecer, 1943. Óleo sobre tela.
Col. Hecilda e Sergio Fadel.

Alberto da Veiga Guinard. Passeio Público do Rio de Janeiro, 1961. Óleo sobre madeira. Col. Ângelo Gutierrez. João Baptista da Costa. O Rio Piabanha
e a casa do Barão do Rio Branco em Petrópolis, 1915
. Óleo sobre madeira. Col. Ronaldo César Coelho. Alberto da Veiga Guinard. Portão do Jardim
Botânico, 1940
. Óleo sobre tela. Col. Arnaldo Landi de Souza Mello.

À esquerda: Alberto da Veiga Guinard. São Sebastião, 1959. Óleo sobre madeira. Col. Particular. Acima: Alberto da Veiga Guinard. Execução de Tiradentes, 1961. Óleo sobre tela. Col. Hecilda e Sergio Fadel. À direira: Alverto da Veiga Guinard. Martírio de São Sebastião, 1960. Têmpera sobre madeira. Col. Museu do Ingá.

Retorna ao Início da Página



As Primeiras Cores do Rio - Autocromos da Coleção Archives de la Planète

"O Centro Cultural Banco do Brasil, no contexto das comemorações dos 450 Anos do Rio de Janeiro e do evento FotoRio - Encontro Internacionbal de Fotografia do Rio de Janeiro trouxe à cidade a exposição: As Primeiras Cores do Rio - Autocromos da Coleção Archives de la Planète, com curadoria de Cristianne Rodrigues e Milton Guran. São 20 autocromos atribuídos a Auguste Léon produzidos em 1909.

Foi a primeira vez que estas imagens, pertencentes ao Museu Albert Khan foram expostas no Brasil. O Rio de Janeiro foi o cenário das primeiras fotografias a cores da América do Sul, apenas dois anos depois do autocromo ser comercializado na Europa".


A Baía de Guanabara e o bairro da Glória em
segundo plano.

O Corcovado visto dos jardins da Avenida Beira
Mar entre os bairros do Flamengo e Botafogo.

A Baía de Guanabara com o Pão de Açúcar à
esquerda e a colina da Urca no centro.

Abaixo: Praça e colina da Glória também chamada
do Russel. Ao lado: Rua Paissandú.

Bairro do Flamengo visto da colina Nova Cintra
com o Pão de Açúcar ao fundo à direita.


Casas do bairro de Santa Teresa em direção à
Floresta da Tijuca.

No bairro de Santa Teresa o castelinho Valentim
ao fundo à esquerda.

Av. Beira Mar tendo à direita o jardim do Palácio
do Catete sede do governo da República Brasileira.

Portão do jardim do Palácio do Catete sede do
governo da República Brasileira.

Alameda de bambus no Jardim Botânico.


Entrada da Gruta de Agassis na Floresta da Tijuca.


Vista da Floresta da Tijuca partir da colina do Sumaré.


Bairro da Tijuca visto da estrada do Sumaré.


Vista tomada da estrada do Sumaré em direção à
Floresta da Tijuca.


Retorna à página O RIO DE JANEIRO EM SEUS 450 ANOS - 1565 A 2015
Retorna ao início da página