Centro Rua 1º de Março Esplanada Castelo Praça XV de Novembro Largo da Carioca Praça da República Av. Presidente Vargas Largo de S. Francisco
Avenida Rio Branco Praça Mauá Praça Marechal Âncora Lapa Santa Teresa Avenida Chile Praça Tiradentes

CENTRO - AVENIDA RIO BRANCO

CINELÂNDIA I



Praça Marechal Floriano Peixoto

A imensa praça que se encontra ao final da Avenida Rio Branco, ficou conhecida como Cinelândia, porque a partir da década de 20, concentrou as melhores salas de cinema do Rio, por idealização de Francisco Serrador. Na verdade seu nome é Praça Marechal Floriano Peixoto, mas já se chamou Largo da Mãe do Bispo, porque nela morava a mãe de influente prelado da cidade.

Neste local existia o Convento da Ajuda, construído em 1750, quando era Governador, o Conde de Bobadela, Gomes Freire de Andrada. O Convento viu nascer a Avenida Central, mas desapareceu em 1911, em seu claustro ficava localizado o Chafariz das Saracuras, obra de Mestre Valentim, que foi desmontado e hoje se encontra na Praça General Osório, em Ipanema.

A Cinelândia foi o foco do Ecletismo no Brasil, este estilo foi caracterizado pela grande liberdade do artista para a criação, mas se o conjunto da Cinelândia representa o Ecletismo carioca, o Teatro Municipal do Rio de Janeiro, que nela se encontra, representa sua síntese e o melhor exemplo do que foi o estilo para a capital do Brasil.




Vista da Cinelândia e da Avenida Rio Branco,
em 1911, quando ainda existia o Convento da Ajuda.
Foto de Augusto Malta.


Vista geral da Cinelândia tirada da Igreja da Glória no belíssimo
cenário da Praça Paris, Passeio Público e Esplanada do Castelo.



Vista da Cinelândia tirada da Igreja da Glória numa aproximação
mostrando seu espaço interno em toda a sua moldura.


Vista geral da Cinelândia e da Avenida Rio Branco
atualmente, foto tirada da Avenida Beira Mar.


Vista do imenso calçadão da Praça Floriano Peixoto, em foto
tirada de dentro do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, em um dos
lados aparece a Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro e ao
fundo pode se ver o Morro do Pão de Açucar.

No meio da praça fica localizado um Monumento ao Marechal
Floriano Peixoto
, erguido em 1910 em homenagem ao segundo
Presidente da República, é uma obra do artista Eduardo Sá, fundido
em Paris e que retrata importantes momentos da história do país:
1500; 1822; 1888 e 1889, e possue frases que simbolizam o ideal
positivista.


Vista geral da Cinelândia, vendo-se ao
fundo o Teatro Municipal do Rio
de Janeiro e prédios da Avenida Rio
Branco com destaque para o Edifício
Lineo de Paula Machado.


Vista dos prédios da Cinelândia onde convivem prédios remanescentes da Avenida original e prédios bem altos construídos mais recentemente.


Edifício Amadeus Mozart ao lado
da Câmara dos Deputados, sua construção é dos anos 20, mas foi completamente restaurado na década de 90. Em seu térreo fica o tradicionalíssimo Bar Amarelinho.



Vistas da Praça Marechal Floriano Peixoto em frente ao Teatro Municipal todas com a estátua do Maestro Carlos Gomes, homenagem ao nosso grande compositor, que para ele voltado, simbolicamente ainda regendo sua orquestra. Na primeira foto aparece em segundo plano o Monumento ao Marechal Floriano Peixoto, a segunda é um detalhe de Carlos Gomes e a terceira mostra edifícios da Cinelândia.

Vista de prédios na Cinelândia.


Prédio Odeon, construído em 1925,
onde funciona o cinema com o mesmo nome,
tendo ao lado uma grande torre.

Retorna ao Início da Página



Câmara de Vereadores da Cidade do Rio de Janeiro

O Palácio Pedro Ernesto, onde funciona a Câmara de Vereadores da Cidade do Rio de Janeiro, em cujas escadarias a população se reúne para protestos políticos e manifestações diversas, foi projetado pelo arquiteto Heitor de Mello e foi decorado por Eliseu Visconti, Rodolfo Bernadelli e Carlos Oswald, tendo sido inaugurado em 1923.

O prédio foi construído no local onde em 1871 foi inaugurada a Escola São José, ao lado do Convento da Ajuda, na esquina da Rua Evaristo da Veiga. Depois aí funcionou o Conselho Municipal, que pode ser visto na primeira foto da página da Avenida Rio Branco e posteriormente passou a funcionar a Câmara Municipal.

A fachada voltada para a Praça é referenciada na arquitetura francesa da época de Luís XIV a XVI e é marcada pela exaltação da simetria.

No final da década de 1940, foi construído o Anexo da Câmara, que fica atrás do prédio principal e abriga os gabinetes dos vereadores cariocas. Destaca-se pelo aproveitamento do estreito espaço disponível e pelo projeto arquitetônico que mantem certa sintonia com o prédio histórico, dando-lhe um fundo de qualidade. Seu projeto é de Antonio de Geraldo Raposo e Samuel Albano de Aratanha.






Retorna ao Início da Página



Centenário do Teatro Municipal do Rio de Janeiro

O Teatro Municipal do Rio de Janeiro completou cem anos em 2009, mas na época ele estava em obras, a maior já realizada desde sua inauguração. Em virtude disto a festa comemorativa do centenário teve que ser realizada na Cinelândia, em frente ao teatro. Foi feita uma grande passarela ligando o teatro ao Palco montado na Praça e durante todo o dia foram realizados espetáculos de ballet, apresentação de orquestras e de músicos como é habitual, nos dias do aniversário, que o teatro abre suas portas para receber o público inteiramente de graça.

As comemorações tiveram início com Banda de Música do Corpo de Fuzileiros Navais, que além de diversas apresentações tocou o tradicional parabéns ao Teatro acompanhado de grande público. Foram também organizadas visitas guiadas ao interior do teatro para que o público pudesse ver como estava o andamento das obras.

Foi lamentável que os espetáculos não pudessem ser realizados dentro do teatro nos seus cem anos, mas em 2010 o Teatro Municipal do Rio de Janeiro foi reaberto totalmente restaurado e com todo seu esplendor para mais cem anos de vida.



Vistas do prédio do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, em obras, algumas partes já estavam restauradas como mostra a quarta foto, mas ainda havia muito a ser feito e nesta época a grande águia que ornamenta sua cúpula havia sido retirada de seu lugar e encontrava-se na Rua Treze de Maio sendo restaurada, numa operação bastante delicada que teve total sucesso.


Alguns momentos da grande festa realizada no aniversário de cem anos do Teatro Municipal: a Banda
do Corpo de Fuzileiros Navais, e duas apresentações de Ballet do corpo de baile do teatro.


















As fotos de ballet mostram as apresentações de La Valse pela Escola de Dança Maria Olenewa e Coppelia pelo corpo de
Ballet do Teatro Municipal, as outras mostram o palco e o bolo simbólico comemorativo dos cem anos do Teatro e o público
presente ao espetáculo no espaço reservado para ele e em volta ocupando a Praça e as escadarias e a varanda da Câmara.


Avenida Rio Branco Cinelândia I Cinelândia II Cinelândia III Suas Transversais I Suas Transversais II A Avenida Centenária - 2005



Retorna à página CENTRO
Retorna ao início da página