Glória Glória - Aterro da Glória e
Praça Paris
Glória - A Igreja de Nossa Senhora
da Glória do Outeiro

GLÓRIA

ATERRO DA GLÓRIA E PRAÇA PARIS

O Aterro da Glória


Vista da Praça do Congresso Eucarístico Internacional,
realizado no Rio de Janeiro, em 1955, no local onde hoje
existe o Monumento aos Mortos da Segunda Guerra
Mundial
, tirada da página central da revista Manchete,
Edição Extra de 1955, sob o título: "Deus na mais
bela baía do mundo"
.



Vistas do Aterro da Glória: no seu início com uma passarela em frente ao Aeroporto Santos Dumont; com uma entrada próxima
do Monumento aos Mortos da Segunda Guerra Mundial; com seus jardins em volta do Monumento e com suas pista de
alta velocidade preparada para receber os Jogos Olímpicos - RIO 2016.

Retorna ao Início da Página



Monumento aos Mortos da Segunda Guerra Mundial

O Monumento, que é mais conhecido como Monumento dos Pracinhas, foi projetado por Hélio Ribas Marinho e Marcos Konder Neto. O Complexo Artístico Arquitetônico do Monumento, está perfeitamente inserido e faz parte do conjunto paisagístico do Parque Brigadeiro Eduardo Gomes - Parque do Flamengo e ambos foram tombados pelo Instituto Nacional do Patrimônio Histórico Artístico Nacional - IPHAN, em 28 de julho de 1965. O Monumento tem como seu elemento vertical o foco do final da Avenida Rio Branco, como pode ser visto na foto do Obelisco da Avenida Rio Branco.

O Monumento é guardado por um revezamento das três forças armadas: Exército; Marinha e Aeronáutica. Nele estão os restos mortais dos 467 soldados brasileiros da Força Expedicionária Brasileira - FEB, que lutaram e tombaram em combate na Segunda Guerra Mundial nos campos de batalha da Itália e que foram trazidos do Cemitério de Pistóia, em 1960 para serem depositados no Mausoléu construído no subsolo do Monumento.

O Monumento foi construído entre 1957 e 1960, em Estilo Moderno e é cercado por jardins de Burl Marx. Além de cerimônias militares ele é palco também de diversas celebrações populares, como foram as Missas rezadas pelo Papa João Paulo II em suas duas vindas à cidade, em 1982 e 1998.




As duas fotos mostram o Monumento aos Mortos da Segunda Guerra Mundial completamente inserido no Bairro da Glória, no início do Aterro Brigadeiro Eduardo Gomes que se estende desde o Aeroporto Santos Dumont até o final da Praia de Botafogo. Na primeira foto pode se ver prédios do Bairro como o Glória Palace Hotel, os prédios do entôrno das Praças Juarez Távora e Luís de Camões e também a Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro. Na segunda pode e ver o Glória Palace Hotel e ao fundo os Morros da Babilônia, da Urca e do Pão de Açúcar.

Outras fotos do Monumento aos Mortos da Segunda Guerra Mundial tiradas em diferentes situações








As duas fotos acima mostram um desfile militar realizado no Aterro, em frente ao Monumento, no dia 7 de setembro, Dia da Independência
do Brasil, nos anos 80.

Retorna ao Início da Página



A Marina da Glória

A Marina da Glória foi idealizada com o intuito de democratizar o uso de áreas de atracação por embarcações pequenas, que pagassem apenas uma taxa de manutenção e pudessem dispor de uma estação de rádio, café e estacionamento, com o objetivo de incentivar o turismo náutico e funcionar como um atracadouro público. Foi inaugurada em 1977.

Com a realização dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro em 2016, a Marina foi o centro da realização das competições de Vela que se realizaram na Baía de Guanabara, devido a este fato suas instalações passaram por uma completa reestruturação tendo recebido novos prédios para realização de eventos e exposições, nova lanchonete, um luxuoso restaurante, um grande estacionamento e maior espaço para o ancoradouro. A Marina também recebe visitantes para a realização de um passeio turístico pela Baía de Guanabara.

Vistas da Marina da Glória e suas Redondezas.


As fotos acima mostram a Marina em sua localização às margens da Enseada da Glória dentro da Baía de Guanabara tendo ao fundo os morros: do Pão de Açúcar, da Urca e da Babilônia. A primeira foto abaixo mostra uma vista da Marina tirada de um navio no interior da Baía de Guanabara e a segunda, embarcações ancoradas na Marina tendo ao fundo o Morro do Pão de Açúcar e o da Babilônia.




As seis fotos em sequência mostram: primeiro a Marina em foto tirada atrás do Aeroporto Santos Dumont no caminho da Escola Naval, pode se ver sua localização à frente do Bairro da Glória com a Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro e o Morro do Corcovado ao fundo; depois ainda a Igreja numa vista mais aproximada em foto tirada na Marina da Glória, em seguida também tirada na Marina o Glória Palace Hotel; as três últimas mostram a Esplanada do Castelo no Centro do Rio, vista da Marina, com seus prédios altos e nas duas últimas também se sobressai o Museu de Arte Moderna - MAM localizado no início do Aterro da Glória.





Vistas da Marina da Glória após sua reestruturação para os Jogos Olímpicos - RIO 2016.










Retorna ao Início da Página



A Praça Paris

A Praça Paris, uma das maiores da cidade, surgiu em 1929, tendo sido erguida sobre um aterro, no início ela se estendia da Avenida Rio Branco e Beira Mar até a Rua da Glória, posteriormente foi encurtada para dar lugar à Praça Marechal Deodoro da Fonseca.

A Praça foi concebida como uma jóia da "belle époque", construída quando era Prefeito do Distrito Federal Antônio Prado Júnior, entre 1926 e 1930. É numa das maiores concentrações de esculturas a céu aberto do país, contendo diversos bustos, estátuas em mármore das estações dos anos e um espelho d'água.

Na época da construção da Linha 1 do Metrô a Praça foi completamente destruída, mas foi reformada a partir de 1992, quando seu charme foi restaurado e até melhorado.

A foto acima mostra a Praça Paris em 1990, antes da construção do Metrô.

Vistas da Praça Paris com os prédios da Esplanada do Castelo ao fundo e parte do Aterro, destacando
o Monumento aos Mortos da Segunda Guerra Mundial, em fotos tiradas do Outeiro da Glória
.


Vistas da Praça Paris e dos prédios da Avenida Augusto Severo.

Vistas da Praça Paris, com a Estátua do Almirante Barroso,
herói da Guerra do Paraguai, uma das mais importantes
de seu acervo.


Vistas da Praça Paris, com os prédios da Avenida Augusto Severo ao fundo. Na primeira foto, tirada do Outeiro da Glória, também
aparecem prédios da Lapa e da Rua Senador Dantas como pode ser visto pelo logotipo do Banco do Brasil. As demais fotos foram tiradas
de uma das calçadas da Praça.

Retorna ao Início da Página



A Praça Marechal Deodoro da Fonseca



Vistas da Praça Marechal Deodoro da Fonseca, onde se encontra a Estátua do
Marechal, que proclamou a República do Brasil, em 1889. Esta Praça já fez
parte da Praça Paris.




Retorna à página GLÓRIA
Retorna ao início da página