JOGOS OLÍMPICOS
RIO 2016
Os Jogos Olímpicos
no Rio de Janeiro
RIO 2016
Região do Maracanã
RIO 2016
Região da Barra da Tijuca
RIO 2016
Região de Copacabana
RIO 2016
Região de Deodoro

RIO 2016 - REGIÃO DA BARRA DA TIJUCA

CICLISMO DE PISTA, TÊNIS E GOLFE



Ciclismo de Pista

Um Breve Histórico do Esporte Ciclismo de Pista

Existem quatro tipos de competições de Ciclismo nas Olimpíadas: Ciclismo de Pista; Mountain Bike; BMX e Ciclismo de Estrada que possue dois tipos de Provas: Estrada e Contrarrelógio. Nesta página será abordado o Ciclismo de Pista. As Provas de Ciclismo distribuem juntas 54 Medalhas Olímpicas.

As competições de Ciclismo de Pista são realizadas desde 1870, na Inglaterra, em pistas cobertas com pisos de madeira: os Velódromos que sempre atraíram multidões. Em 1895, ocorreu o primeiro Campeonato Mundial e já no ano seguinte, o esporte participou dos primeiros Jogos Olímpicos, em Atenas - 1896. Com exceção de Estocolmo - 1912, a Modalidade esteve presente em todas as Edições Olímpicas. As mulheres passaram a competir a partir de Seul - 1988, no evento de Velocidade 200m. Novos Eventos foram adicionados nos Jogos de Sidney - 2000. O Ciclismo de Pista é praticado com bicicletas de roda fixa, que não possuem freios, a frenagem é feita reduzindo a rotação através dos pedais.

As Competições Internacionais oficiais de Ciclismo são organizadas pela Union Cycliste Internationale - UCI com sede na cidade de Aigle na Suíça. No Brasil, as competições oficiais são organizadas pela Confederação Brasileira de Ciclismo - CBC. A Pista de Ciclismo deve ter um formato oval e o seu grande diferencial é que as curvas contam com inclinação que varia entre 36 a até 45 graus. A extensão da pista pode variar entre 180 a 500 metros, porém, as mais utilizadas são aquelas de 250 metros e as de 333 metros. O revestimento das pistas é realizado tanto em madeira como em cimento.

Atualmente, as grandes potências mundiais do Ciclismo de Pista são: Grã-Bretanha, Austrália, Estados Unidos e Alemanha. A primeira participação do Brasil em Provas Olímpicas de Ciclismo ocorreu nos Jogos Olímpicos de Berlim - 1936. A Equipe Brasileira foi formada pelos ciclistas: Ricardo Magnani; Ferrer Dertonio e Hermógenes Netto. O uniforme básico dos ciclistas, que participam de competições, é composto por: capacete de fibra, luvas, sapatilhas de nylon ou microfibras sintéticas e macaquinho - roupa aderente ao corpo feita de nylon. O capacete é de uso obrigatório e é desenhado para favorecer a aerodinâmica em Provas de Velocidade

Com provas extremamente emocionantes e velozes, o Brasil não consegue competitividade no Ranking Mundial de Ciclismo e continua sem tradição no esporte por um motivo muito simples: parou de investir e enterrou a Modalidade. O Velódromo do Rio de Janeiro foi demolido em 2013, este episódio acabou com a equipe que lá treinava e todo o trabalho desenvolvido pelos atletas, treinadores e equipe de apoio foi perdido com a decisão de desmontar o Velódromo sem que houvesse outro local em que os ciclistas pudessem treinar. Em São Paulo, a pista da CepeUSP, idealizada para os Jogos Pan-americanos de 1975, está abandonada há quase 30 anos, funcionando hoje apenas como palco de festas universitárias. Em 2008, o então diretor do CepeUSP, Carlos Bezerra de Albuquerque, defendia que o espaço não fosse reformado, acreditando não haver procura para o esporte.

Após as Olimpíadas 2016, o Velódromo Olímpico do Rio deverá passar a ser usado para treinos de atletas de alto rendimento. Há cinco outros Velódromos no Brasil, sendo o mais recente o da cidade de Indaiatuba, no interior de São Paulo. Os outros estão no Paraná em Curitiba e em Maringá e em São Paulo em Caieiras e Americana. As condições de conservação variam e pode se dizer que é muito pouco para um país com tanto potencial e para um esporte com várias categorias, que poderia render tantas Medalhas para o país.



MODALIDADES DE PROVAS PARA O CICLISMO DE PISTA
VELOCIDADE - SPRINT Na prova mais rápida do Velódromo, os ciclistas precisam de muito impulso e arrancada, usando o máximo de sua força, o que os leva a terem pernas extremamente musculosas. Dois ciclistas precisam percorrer 1 km na pista, mas apenas os últimos 200 m são cronometrados. Por isso as primeiras voltas são muito lentas e estratégicas, com os atletas se estudando, procurando a melhor posição de "ataque" e evitando ficar à frente um do outro, para não conceder a vantagem do vácuo. Quando começa a contar o cronômetro, eles explodem e chegam a mais de 70km/h. Vence quem cruza a linha de chegada primeiro.
PERSEGUIÇÃO POR EQUIPE - TEAM PURSUIT Duas equipes competem uma contra a outra, se posicionando em lados opostos do velódromo, cada uma com quatro atletas. Ganha a Equipe que fizer o menor tempo ou, na Final, a que alcançar a outra. Nessa modalidade os ciclistas revezam seus posicionamentos com muita técnica e precisão. As mudanças de posições acontece para alternar quem puxa a fila, maximizando a performance de todos. Após completar a primeira volta, o ciclista que está puxando sobe pelo lado direito da parede do velódromo, se posiciona em último da fila e dá lugar ao segundo, que passa a comandar o ritmo. Essa "dança" acontece sucessivamente, até o fim. Essa é uma das provas mais bonitas do Ciclismo de Pista. São 4km ou 16 voltas.
VELOCIDADE POR EQUIPE - TEAM SPRINT Apesar do nome “sprint”, é mais parecida com a Perseguição por Equipes do que com a prova de Sprint Individual. Duas equipes competem uma contra a outra, se posicionando em lados opostos do velódromo. A Prova Masculina é disputada em três voltas, com a Equipe sendo composta por três ciclistas, pedalando um atrás do outro. A cada volta, o ciclista que liderava a equipe se retira, deixando o seguinte à frente. No Feminino, são duas voltas, com duas atletas. Ganha a equipe com o menor tempo. O ciclista responsável pela última volta precisa ter boa resistência, para manter a velocidade alta até o final. Geralmente se escolhe um ciclista de Contrarrelógio para essa posição.
OMINIUM

Esse é o maior desafio individual para os ciclistas de Velódromo. A competição é composta por 6 provas diferentes, disputadas durante dois dias, que exigem potência e também resistência dos ciclistas. Os pontos acumulados pelos competidores nos primeiros cinco eventos são somados. Durante a sexta e última corrida, esse total pode aumentar ou diminuir de acordo com os pontos conquistados ou perdidos pelo ciclista. O vencedor é o ciclista com maior pontuação ao final da sexta prova. As 6 provas do Omnium são:

SCRATCH - Um pelotão larga junto e quem chegar primeiro ganha. São 15km para os homens e 10km para as mulheres.

PERSEGUIÇÃO INDIVIDUAL - Dois ciclistas largam em lados opostos do Velódromo, disputando quem anda mais rápido em 4km no Masculino e 3km no Feminino.

ELIMINAÇÃO - O pelotão disputa Sprints Eliminatórios, com o último a passar pela linha a cada duas voltas sendo eliminado da competição. Quem ficar até o final ganha.

CONTRARRELÓGIO - Prova de velocidade com medição de tempo individual. Distância de 1km para homens e 500m para mulheres.

FLYING LAP - Cada ciclista dá uma volta sozinho e quem fizer o melhor tempo, ganha. A volta começa a ser contada com a bicicleta já em velocidade, em vez de iniciar parada como no Contrarrelógio tradicional.

CORRIDA DE PONTOS - Essa é uma das provas mais confusas é disputada com vários ciclistas simultaneamente, em distâncias longas - 40 km homens e 25 km mulheres. A cada dez voltas há um Sprint intermediário, que rende pontuação para os quatro primeiros - 5, 3, 2 e 1 ponto, respectivamente. Cada ciclista que consegue dar a volta no pelotão ganha um extra de 20 pontos. Muitas vezes alguns dos ciclistas trabalham em conjunto durante a competição para conseguir conquistar essa volta, difícil de ser conseguida individualmente.

KEIRIN Essa prova conta com o auxilio de uma moto ou de uma bicicleta elétrica e aqui se registram os piores tombos da competição. Seis ciclistas de várias equipes pedalam em grupo atrás do veículo motorizado, que controla a velocidade dos ciclistas, que começa em 25 km/h e vai aumentando até 50 km/h. Nos últimos 700 metros, a moto deixa a pista e começa a disputa forte. Os competidores alcançam velocidades finais de até 70km/h.


O Ciclismo de Pista nos Jogos Olímpicos - RIO 2016 -

Depois de 24 anos sem nenhum brasileiro no Ciclismo de Pista Olímpico, o cearense Gideoni Monteiro representou o país no Omnium Masculino. Gideoni conseguiu a pontuação no Mundial de Londres, em março, ficando na 15a posição no Ranking Olímpico. O ciclista treinou no Centro Mundial de Ciclismo da UCI, na Suíça, em um programa de intercâmbio, e é atualmente o 28ocolocado no Ranking Mundial. No RIO 2016 o brasileiro terminou na décima terceira posição.

PARTICIPAÇÃO NO CICLISMO DE PISTA
TORNEIOS MASCULINO E FEMININO
36 Países
193 Ciclistas
10 Modalidades de Provas
30 Medalhas

Disputado em um Velódromo, o Ciclismo de Pista inclui Provas de Velocidade e Resistência, em Competições Individuais e por Equipes. Para obter o melhor desempenho, os ciclistas devem combinar muita força, velocidade e tática. Colegas de equipe se alternam na liderança durante a Prova, o líder enfrenta maior resistência do ar e quem vem logo atrás dele entra no "vácuo", para ganhar velocidade.

A Modalidade Ciclismo de Pista, nas Olimpíadas - RIO 2016, foi realizada entre os dias 11 e 16 de agosto, com a disputa de dez Provas, cinco Masculinas e cinco Femininas. Além das Provas de Velocidade, Velocidade por Equipe, Keirin e Perseguição por Equipes, o RIO - 2016 contou com a novidade da Prova de Omnium, que fez sua estréia em Londres - 2012. A Grã-Bretanha conquistou onze Medalhas no Ciclismo de Pista e ficou com quatro das cinco Medalhas de Ouro do Torneio Masculino.



PREMIAÇÃO DO CICLISMO DE PISTA
TORNEIO MASCULINO
MODALIDADES DIA OURO PRATA BRONZE
Velocidade 14 ago Jason Kenny - GBR Callum Skinner - GBR Denis Dimitriev - RUS
Velocidade por Equipe 11 ago Callum Skinner / Jason Kenny /
P. Hindes - GBR
Z. Williams / S. Webster / E. Mitchell /
E. Dawkins - NZL
F. Pervis / G. Baugé M. D'Almeira -
FRA
Perseguição por Equipe 12 ago E. Clancy / B. Wiggins / S. Burke /
M. Cavendish / O. Doull - GBR
C. Scotson / S. Welsford / J. Bobridge /
M. Hepburn / A. Edmondson - AUS
N. Larsen / C. Pedersen / L. Hansen /
F. Madsen / R. Quaade / C.von
Folsache - DEN
Keirin 16 ago Jason Kenny - GBR Matthijs Buchli -NED Azizulhasni Awang - MAS
Omnium 15 ago Elia Viviane - ITA Mark Cavendish - GBR Lasse Norman Hansen - DEN


PREMIAÇÃO DO CICLISMO DE PISTA
TORNEIO FEMININO
MODALIDADES DIA OURO PRATA BRONZE
Velocidade 16 ago Kristina Vogel - GER Rebecca James - GBR Katy Marshang - GBR
Velocidade por Equipe 12 ago T. S. Zhong / J. J. Gong - CHN D. Shmeleva / A. Voinova - RUS M. Welte / K. Vogel - GER
Perseguição por Equipe 13 ago J. Rowsell / L. Trott / C. Horne /
E. Barker / K. Archibald - GBR
K. Catlin / C. Dygert / R. Winder /
J. Valente / S. Hammer - USA
K.Lay / A Beveridge / J. Glaesser /
G. Simmerling / L. Brown - CAN
Keirin 13 ago Elis Ligtlee - NED Rebecca James - GBR Anna Meares - AUS
Omnium 16 ago Laura Trott - GBR Sarah Hammer - USA Jolien D'Hoore - BEL


Eventos do Ciclismo de Pista

O conjunto de fotos mostra a premiação da Prova Velocidade Feminina que teve como vencedoras as representantes: da Alemanha Kristina Vogel com
Medalha de Ouro, e da Grâ-Bretanha Medalha de Prata para Rebecca James e Medalha de Bronze para Katy Marshang.

Vista Interna do Velódromo Olímpico do Rio em foto obtida no site: https://brasil.elpais.com/brasil/2016/tag/c/55faecf5a0f4de42d5da57cbf99bd9b6.

Retorna ao Início da Página



Tênis

Uma Breve Histórico do Esporte Tênis

O Jogo de Tênis como hoje se pratica teve origem no século XIX, na Inglaterra. Muitos historiadores, porém, acreditam que a origem do esporte data do Século XII, na França, onde no entanto era usada a mão para bater na bola. No final do século XVI teve início o uso de raquetes e o jogo passou a ser chamado de "Tênis", do francês antigo Tenez, que pode ser traduzido como "segure" ou "receba". O jogo era popular na França e na Inglaterra, onde era praticado em locais cobertos, onde a bola batia em uma parede. Mais tarde, o jogo seria chamado de "Tênis Real". O torneio mais antigo de Tênis no mundo, o Torneio de Wimbledon, foi realizado pela primeira vez em Londres em 1877, gerando um debate sobre a padronização das regras do esporte.

Para isto em 21 de Maio de 1881, foi fundada a United States National Lawn Tennis Association com o objetivo de padronizar as regras e organizar as Competições. O U.S. National Men's Singles Championship, hoje o US Open de Tênis, foi realizado pela primeira vez em 1881, em Newport, Rhode Island. O Torneio Feminino se estabeleceu em 1887. O esporte também era popular na França, com o Aberto da França datando de 1891. Assim, Wimbledon, o US Open, o Aberto da França e o Aberto da Austrália de 1905 tornaram-se os eventos de maior prestígio no Tênis, algo que se mantém até hoje, juntos, esses torneios são chamados de Majors ou Slams, termo retirado do Basebol. A partir de 1904, foi criada a Copa Davis considerada como a principal competição de Tênis por países e sua versão análoga para as mulheres é a Fed Cup, iniciada em 1963.

Participam do jogo dois oponentes ou duas duplas de oponentes, podendo ser mistas ou não. A quadra é dividida em duas meia-quadras por uma rede, e o objetivo do jogo é rebater uma pequena bola para além da rede, para a meia-quadra adversária com ajuda de uma raquete. O jogo começa a ser disputado quando o jogador que está sacando joga a bola para o outro lado da rede, de modo que ela caia dentro da área de serviço do adversário. Perde-se o ponto quando: a bola não ultrapassa a rede; a bola pinga fora dos limites da quadra; a bola pinga duas vezes dentro de um dos lados da quadra. O desporto possui um aspecto de ataque, rebater bem a bola, dificultando a devolução do adversário e um de defesa, bom posicionamento em quadra com antecipação do lance adversário.

O Tênis foi um dos esportes integrantes das primeiras Olimpíadas da Era Moderna, em 1896, mas depois das Olimpíadas em Paris - 1924, o Tênis deixou de comparecer e retornou apenas em Seul - 1988 após duas aparições como esporte de demonstração: México - 1968 e Los Angeles - 1984. .

No Brasil, assim como na maioria dos países, o Tênis foi conhecido por intermédio dos imigrantes ingleses, que levavam na bagagem a famosa "caixa" onde existiam olivro de regras, raquetes, bolas e rede. Acredita-se que a Argentina foi a primeira a praticar o novo esporte na América do Sul. Já nos primeiros anos do novo Século, já havia clubes sediados em Recife, Salvador, Santos, Itajaí e Porto Alegre. Em 1904, tem-se o registro de um torneio interclubes em São Paulo, que realizou seu primeiro Campeonato Estadual em 1913. A Federação Paulista nasceu em 1924 e o primeiro Título Internacional foi dado para Alcides Procópio, que ganhou o Torneio Rio da Prata, na Argentina, em 1937 e um ano depois, foi o primeiro brasileiro a disputar Wimbledon. Ele também ganhou o primeiro Título Brasileiro de adultos, em 1943, em disputa com Maneco Fernandes. A Confederação Brasileira de Tênis foi criada por Decreto Presidencial a 8 de março de 1956, desmembrando-se da então Confederação Brasileira de Desportos, tendo como primeiro Presidente Paulo da Silva Costa.

O Tênis possui um complexo sistema de pontuação, mas a grosso modo pode ser dizer, um game é um conjunto de pontos - 15-30-40 e um set é um conjunto de games - 1-2-3-4-5. Cada game tem um jogador responsável por recolocar a bola em jogo: fazer o serviço ou sacar. No Tênis de Competição, é comum que o tenista que serve fature o game, já que tem a vantagem do ataque e dita o ritmo do jogo. Desta forma, uma das estratégias de jogo é tentar inverter esta vantagem durante a troca de bola ou durante a defesa fazer com que o adversário, através de erros, perca os games em que está sacando.

O set é ganho pelo primeiro tenista ou dupla a atingir 6 games, com dois games, no mínimo, de diferença para o adversário. Caso haja empate no set de 6-6, será disputado um tie-break, no qual o jogador que conseguir 7 pontos primeiro, com uma diferença de dois pontos para o adversário, ganha o set. Em caso de diferença menor que dois pontos, segue-se o tie-break até que a diferença seja cumprida. Pode-se também, em casos especiais pré definidos, sempre no último set do jogo, jogar-se um Super Tie-Break, onde aquele que atingir 10 pontos, com uma diferença minima de 2 pontos vence a partida.

Boa parte dos Torneios é de Simples Masculina e Feminina e Duplas Masculina, Feminina ou Mista. Os torneios são organizados principalmente pelas: Associação de Tênis Profissional - ATP; Associação de Tênis Feminina - WTA e Federação Inmternacional de Tênis - ITF. Os tenistas profissionais são aqueles que competem nos torneios oficiais de Tênis, contabilizando pontos para os Rankings Masculino e Feminino. Atualmente existem vários tenistas de alto nível jogando, podendo ser citados Roger Federer, Rafael Nadal, Novak Djokovic, Andy Murray, Victoria Azarenka, Caroline Wozniacki, Serena Williams, Venus Williams e Maria Sharapova. Os tenistas que obtiveram grandes resultados em sua carreira costumam ser indicados ao International Tennis Hall of Fame. Dos tenistas sul-americanos são destaque internacional: a brasileira Maria Ester Bueno e o peruano Alex Olmedo, Campeões de Wimbledon.

O Chile demorou para obter sua primeira Medalha de Ouro Olímpica, mas, em Atenas - 2004, ficou com duas, ambas no Tênis. Nicolás Massú venceu os Torneios Masculinos de Simples e Duplas, este ao lado de Fernando González. Gustavo Kuerten, o Guga, esteve em Sidney - 2000 e Atenas - 2004, perdeu para os tenistas que deixariam os torneios com a Medalha de Ouro, o russo Yevgeny Kafelnikov e o chileno Nicolás Massú. A melhor participação brasileira em Jogos Olímpicos foi de Fernando Meligeni, que ficou com o quarto lugar em Atlanta - 1996.



TIPOS DE QUADRAS DE TÊNIS EXISTENTES

A Quadra de Tênis tem 78 pés - 23,77m de comprimento, e sua largura é de 27 pés - 8,23m para partidas Simples e 36 pés - 10,97m, para partidas de Duplas. O espaço adicional em torno da Quadra serve para que os jogadores possam alcançar a bola que ultrapassar os seus ilmites. Uma rede é esticada no meio da Quadra em toda a sua largura, paralela com as linhas de base, dividindo-a em duas partes iguais. A rede tem 3 pés e 6 polegadas - 1,07m de altura nas extremidades, e 3 pés - 914mm de altura no centro. As linhas nas extremidades das Quadras são chamadas Linha de Base e as Linhas Laterais de Margem. Duas linhas, uma em cada lado da quadra, estão a 6,4m da rede, são para o serviço. A velocidade e o salto da bola de Tênis é influenciado pelo material que reveste a quadra.

QUADRA DE ARGILA / TERRA BATIDA - SAIBRO A Quadra de Saibro é composta por terra e argila, coberta com pó de tijolo, um piso que torna o jogo um pouco mais lento. As bolas saltam relativamente altas e mais lentamente, fazendo com que seja mais difícil que um tenista bata um tiro indefensável. Em Quadras de Argila, as linhas de chamada são facilmente visíveis porque a bola deixa uma marca no solo. O Torneio de Roland Garros é disputadol em Quadras deste tipo. Vários tenistas fizeram história nesse piso como Rafael Nadal e Gustavo Kuerten.
QUADRA DE GRAMA O Piso de Grama é o piso mais rápido do Tênis, caracterizando-se pela irregularidade do ressalto da bola, depende da qualidade da grama e de como é seu corte. Os grandes vencedores nesta superfície jogam ao estilo serviço e voleio, como Pete Sampras. O Torneio de Wimbledon é jogado nesta superfície.
HARDCOURT - PISO DURO: CIMENTO, BORRACHA SINTÉTICA, CARPETE OU LAMA ASFÁLTICA O Piso Duro é um tipo de quadra que abrange muitas superfícies diferentes, variando do cimento, tartan ou asfalto até superfícies de madeira ou grama artificial semelhante a AstroTurf. É um piso de jogo rápido devido ao seu piso regular. Os ressaltos baixos fazem com que as jogadas sejam curtas e poderosas, jogadores do tipo serviço-rede têm vantagem neste tipo de superfície. Nesse piso não exige muita técnica. Os torneios de Grand Slam disputados nesses pisos são: Australian Open e U.S. Open. Tenistas como Roger Federer e Pete Sampras se destacaram nesse tipo de piso.


O Tênis nos Jogos Olímpicos - RIO 2016 -

O Tênis reuniu nos Jogos Olímpicos - RIO 2016 eventos de Simples e Duplas Masculinas e Femininas, além de Duplas Mistas. As partidas foram disputadas em melhor de três sets, cada um composto por seis games e cada game formado de quatro pontos, contados em 15, 30, 40 e o último, que encerra o game. O primeiro a vencer seis games ganhava o set, a menos que houvesse empate em 5 a 5, o que levava a mais dois games. Se houvesse novo empate em 6 a 6, o set era decidido em um tie-break de até sete pontos.

A Modalidade Tênis, nas Olimpíadas - RIO 2016, foi realizada entre os dias 6 e 14 de agosto, com a disputa de cinco Provas. O Brasil foi representado por sete tenistas: cinco homens e duas mulheres que participaram das cinco Provas.

Os melhores desempenhos brasileiro ficaram com: Thomaz Bellucci, que terminou na quinta posição na Prova Simples Masculina; a dupla Marcelo Melo e Bruno Soares, que também terminou em quinto lugar na Prova Duplas Masculinas e a dupla Marcelo Melo e Teliana Pereira, que também obtiveram a quinta colocação na Prova Duplas Mistas.

PARTICIPAÇÃO NO TÊNIS
TORNEIOS MASCULINO E FEMININO
56 Países
197 Ciclistas
5 Modalidades de Provas
15 Medalhas
EQUIPE DO BRASIL NO TÊNIS
MODALIDADE TENISTA
EQUIPE MASCULINA
Simples e Duplas Masculinas Thomaz Bellucci
Simples Rogério Dutra Silva
Duplas Masculinas e Mistas Marcelo Melo
Duplas Masculinas Bruno Soares
Duplas Masculinas André Sá
EQUIPE FEMININA
Duplas Femininas Paula Cristina Gonçalves
Simples, Duplas Femininas e Duplas Mistas Teliana Pereira


PREMIAÇÃO DO TÊNIS
TORNEIOS MASCULINO E FEMININO
MODALIDADES DIA OURO PRATA BRONZE
Simples Masculina 13 e 14 ago Andy Murray - GBR Juan Martin Del Potro - ARG Kei Nishikori - JPN
Dupla Masculina 12 ago Marc Lopez / Rafael Nadal - ESP Florin Mergea / Horia Tecau - ROU Steve Johnson / Jack Sock - USA
Simples Feminina 13 ago Monica Puig - PUR Angelique Kerber - GER Petra Kvitova - CZE
Dupla Feminina 13 e 14 ago Ekaterina Makarova / Elena Vesnina -
RUS
Timea Bacsinszky / Martina Hingis -
SUI
Lucie Safarova / Barbara Strycova -
CZE
Dupla Mista 13 e 14 ago Bethanie Mattek- Sands / Jack Soch -
USA
Venus Williams / Rajeev Ram -
USA
Lucie Hradecka / Radek Stepanek -
CZE


Eventos do Tênis



Vista Interna do Centro Olímpico de Tênis tirada no dia 14 de agosto nas Provas Finais de Simples e Duplas Masculina e Duplas Mista.
Retorna ao Início da Página



O Golfe

Uma Breve Histórico do Esporte Golfe

A palavra Golfe tem origem no inglês golf, que por sua vez provém do alemão kolbe, significando taco e no Golfe os jogadores usam diversos tipos de tacos para arremessar uma bola para uma série de buracos. Considerado um esporte de elite por muitas pessoas, sua real origem é bastante discutida, existindo diversas correntes para explicá-la: que ele tenha sido criado pelos escoceses que praticavam por volta de 1400 um um jogo proveniente de um antigo jogo romano chamado "Paganica"; que seja originário do jogo dos camponeses, que era praticado nos séculos XVII, XVIII com uma bola de couto cheia de penas e com uma vara curva, lembrando bastante o Golfe, mas ainda existem os que acreditam ele tenha origem no "jeu de mail", antigo jogo francês que se assemelha ao Golfe principalmente nas regras, mas era praticado em espaços fechados e em quadras. O certo é que suas primeiras regras foram elaboradas em 1744, pela Companhia de Golfistas da cidade escocesa de Edimburgo.

O jogo é praticado num Campo de Golfe de relva ou em parques apropriados com um ou mais percursos delimitados, os Fairways, cada um deles com 25 a 30 metros de largura e 300 a 500 metros de comprimento, que possuem nove ou dezoito buracos. Levando em conta esses números, mais os espaços necessários de segurança e os espaços entre os Fairways, um campo de golfe com nove buracos necessita de uma área aproximada de 25 a 30 hectares e o de 18 buracos, de 40 a 50 hectares. Os buracos do Campo de Golfe são sinalizados com uma bandeira pequena, presa num mastro, geralmente de formato triangular.

O objetivo do jogo consiste em sair de um local determinado, em campo aberto, e embocar a bola no menor número de tacadas possível, em buracos estrategicamente colocados em distâncias variadas. O número de tacadas é acumulado e vence quem completa todos os buracos com o menor número de tacadas. Para dificultar a tarefa, o trajeto até o buraco pode incluir pequenos lagos, poças de areia, árvores e locais com relva mais alta.

O Golfe pode ser jogado individualmente ou em grupos de dois a quatro jogadores e tem como particularidade a ausência de um adversário propriamente dito, o único adversário do golfista é o próprio campo, uma vez que não há nada que ele possa fazer no sentido de dificultar o desempenho de outros jogadores. Os golfistas caminham ao ar livre pelo menos quatro quilômetros por jogo numa partida que costuma durar em média quatro horas. Quando a bola durante o jogo cair em locais adversos para a jogada, por exemplo, dentro de um lago perto do campo, o jogador poderá tirá-la e colocá-la o mais próximo do local onde a bola caiu, mas receberá a penalidade de uma tacada extra.

Em competições oficiais, é proibido um golfista falar com outros jogadores acerca do jogo, já em jogos entre amigos, é normal o golfista mais experiente dar "dicas" aos menos experientes. Há várias modalidades de jogo de golfe, as mais comuns são: stroke play, onde o vencedor é definido pelo menor número na somatória das tacadas e match play, onde são conferidos pontos a cada buraco.

Os golfistas utilizam alguns equipamento necessários para o jogo, como: os tacos, as bolas, o saco, o carrinho, a roupa, a luva, os sapatos, além de outros apetrechos. Os tacos são os principais e existem vários tipos de taco: de madeira; de ferro e os putters. Os tacos de madeira são fabricados com grafite ou metal, os de ferro apresentam três seções distintas: a "cabeça", a "vareta" e a "pega" ou "punho". Os putters apresentam-se com as mais variadas formas, as varetas são encrustadas na cabeça do putter em diversas posições, seu peso varia entre os 420 e os 540 gramas apresentando-se com varetas com comprimentos de 82 a 90 cm. O putter é um taco muito pessoal devendo cada golfista usar o modelo que lhe transmita maior confiança. O número máximo de tacos que um golfista, em competição, pode transportar no saco é de 14 e o jogador não pode transportar os tacos na mão.

A bola de golfe normalmente é branca e a camada exterior que a cobre tem uma serie de "covinhas", cerca de 500, para lhe aumentar o efeito de aerodinâmica. Em 1968 foram definitivamente fixadas, pelas entidades regulamentadoras do Golfe, as especificações técnicas da bola, onde se estabelece que o diâmetro da bola não pode ser inferior a 42,67 mm, nem o seu peso ser superior a 45,93 gramas.

O Golfe entrou para o quadro de Esportes Olímpicos na segunda Olimpíada da Era Moderna, Paris - 1900. Nas Olimpíadas de 1904, o Golfe fez parte pela segunda e última vez do Quadro Olímpico. Ficou de fora por mais de um século e, nos Jogos Olímpicos de 2016, voltou a fazer parte das Olimpíadas. Os países que mais se destacam no Golfe na atualidade são: Estados Unidos, Irlanda, Austrália, Alemanha, Inglaterra, Irlanda do Norte, Suécia e África do Sul. Um dos melhores golfistas da atualidade é o norte-americano Jordan Spieth, vencedor do U.S. Open e Masters de 2015, que está em primeiro lugar no Ranking Mundial de Golfe. Os principais Torneios Internacionais de Golfe da atualidade são os quatro que formam o PGA Tour: U.S. Open, Masters, British Open e PGA Championship. A principal associação de Golfe é a International Golf Federation - IGF e no Brasil a Confederação Brasileira de Golfe - CBG.



O Golfe nos Jogos Olímpicos - RIO 2016 -

Em 2016, após 112 anos, o Golfe voltou a fazer parte dos Jogos Olímpicos - RIO 2016, onde foi disputado em um circuito de 72 buracos Stroke Play. Venceu o golfista que completou o circuito com o menor número de tacadas ao fim das quatro rodadas de 18 buracos. Os espectadores puderam caminhar pelo circuito, acompanhando a disputa e testemunhando a força de um DRIVE - a primeira e mais ampla tacada e a precisão de um CHIP SHOT - tacada curta, geralmente executada para atingir o buraco.

Os melhores atletas da atualidade participaram dos Jogos Olímpicos - RIO 2016 como: o irlandês Rory McIlroy, o norte-americano Bubba Watson e sua compatriota Stacy Lewis, destaque entre as mulheres. Há um limite para a participação de quatro jogadores por país.

A Modalidade Tênis, nas Olimpíadas - RIO 2016, foi realizada entre os dias 11 a 14 e 17 a 20 de agosto, com a disputa de duas Provas: Individual Stroke Play Masculino e Individual Stroke Feminino. O Brasil esteve representado por três golfistas: um homem - Adilson da Silva Prado e duas mulheres - Miriam Nagl e Victoria Lovelady, participando dos dois Eventos. O melhor desempenho brasileiro coube a Adilson da Silva Prado que terminou na trigésima nona posição, na Prova de Golfe Masculina.

Os Jogos Olímpicos - RIO 2016 deixaram para a cidade um legado definitivo, o primeiro campo público de Golfe de padrão internacional do país. Espera-se que este seja um estímulo para a prática do esporte, com programas de desenvolvimento voltados aos jovens e infraestrutura de treinamento para atletas de elite.

PARTICIPAÇÃO DO GOLFE
TORNEIOS MASCULINO E FEMININO
41 Países
120 Golfistas
2 Modalidades de Provas
6 Medalhas
PREMIAÇÃO DO GOLFE
MODALIDADES MEDALHAS
Individual Stroke Play Ouro Prata Bronze
Masculino - dia 14 ago Justin Rose - GBR Henrik Stenson - SWE Matt Kuchar - USA
Feminino - dia 20 ago Inbee Park - KOR Lydia Ko - NZL Shanshan Feng - CHN

Eventos do Golfe



Foto dos vencedores da Prova de Golfe Masculina: Henrik Stenson - SWE; Justin Rose - GBR
e Matt Kuchar - USA , obtida no site do UOL: https://olimpiadas.uol.com.br/noticias/redacao.

RIO 2016 - REGIÃO DA BARRA DA TIJUCA Basquetebol e Handebol Judô e Lutas Olímpicas Esgrima e Taekwando Ginástica Artística Ginástica Rítmica
Ginástica de Trampolim
Natação
Nado Sincronizado Polo Aquático
Saltos Ornamentais
Ciclismo de Pista
Tênis e Golfe
Levantamento
de Peso e Boxe
Tênis de Mesa
Badmington
Atletismo - Marcha Atlética
Ciclismo de Estrada



Retorna à página JOGOS OLÍMPICOS - RIO 2016
Retorna ao início da página