JOGOS OLÍMPICOS
RIO 2016
Os Jogos Olímpicos
no Rio de Janeiro
RIO 2016
Região do Maracanã
RIO 2016
Região da Barra da Tijuca
RIO 2016
Região de Copacabana
RIO 2016
Região de Deodoro

RIO 2016 - REGIÃO DA BARRA DA TIJUCA

JUDÔ E LUTAS OLÍMPICAS



Judô

Um Breve Histórico do Esporte Judô

O Judô foi criado no Japão, em 1882, por Jigoro Kano, tendo como base o "jujutsu", uma arte marcial praticada pelos cavaleiros do Kamakura entre os Séculos XII e XIV e em outras artes marciais do Oriente. O Mestre Jigoro Kano fundiu todas num só desporto, selecionando e classificando as melhores técnicas e atribuindo-lhes princípios básicos, assim estabelecendo normas racionais para tornar a aprendizagem do Judô mais fácil ao alcance de todos e também menos violento. Seu nome siginifica "caminho suave, ou caminho da suavidade" e seu nome já define os seus principais objetivos: fortalecer o físico, a mente e o espírito de forma integrada, além de desenvolver técnicas de defesa pessoal. O Judô foi considerado desporto oficial no Japão nos finais do século XIX e a polícia nipônica introduziu-o nos seus treinamentos.

O Mestre Jigoro Kano doutorou-se em Judô, o equivalente a ter sido agraciado com o escalão "12o dan", sendo o único que até hoje recebeu esta honraria por ter sido o "Pai da Modalidade". Em 1935 foi condecorado com o prémio "Asahi" pela sua contribuição fantástica para o desporto japonês ao longo de uma vida, ele faleceu em 1938, com 78 anos de idade.

A vestimenta utilizada nesta Modalidade é o "judogi" que forma com a faixa - o "obi", o equipamento necessário à sua prática. O "judogi" é composto pelo casaco - Wagi e pela calça - Shitabaki, pode ser nas cores branco ou azul. Em 1887, o Judô encontrava-se já definido em três princípios fundamentais: primeiro o princípio da máxima eficácia do corpo e do espírito, do acondicionamento físico proporcionado pela prática - "Seiryoku Zen Yo"; segundo o da disciplina atingida por meio da luta e dos mecanismos de concentração, autocontrole e autoconfiança - "Jita Kyoei" e terceiro que se dá no campo da ética e da moral, em que o respeito aos valores apresenta significativa importância - "Ju".

Na Europa, o Judô chegou à em 1899 à Inglaterra, três anos depois desembarcou nos Estados Unidos e chegou à França em 1905. O primeiro clube judoca europeu – “Budokway” foi criado em Londres sem 1918. Daí o Judô espalhou-se pelos quatro cantos do mundo, chegando ao Brasil entre 1920 e 1930, logo após a chegada dos imigrantes japoneses. Dentre eles havia vários praticantes de Judô, como Takaji Saigo e Geo Omori que abriram uma Escola em São Paulo, entretanto não obtiveram sucesso. Até mesmo o professor Eisei Maeda, esteve em Porto Alegre, passou pelos Estados do Rio de Janeiro e São Paulo, no ano de 1922, mas também não garantiu muitos adeptos. A consagração do esporte em terras brasileiras veio depois da abertura da Academia Ogawa, fundada pelo professor recém-chegado Riuzo Ogawa, em 1938. Atualmente o Judô tem mais de 20 milhões de praticantes em 200 países.

Com milhares de praticantes e federações espalhados pelo mundo, o Judô se tornou um dos esportes mais praticados no planeta e é representando por um nicho de mercado fiel e bem definido. O Judô é praticado tanto por homens com excelente vigor físico, mas também tem seus adeptos entre mulheres, crianças, idosos e pessoas com necessidades especiais. Seu fundador definia o desporto como algo que utiliza basicamente a força e o equilíbrio do oponente contra ele, sendo "uma arte e em que se usa ao máximo a força física e espiritual" e que a vitória, representa um fortalecimento espiritual do lutador.

O Mestre Jigoro Kano passou a fazer parte do Comitê Olímpico Internacional no ano de 1909, mas só em 1932 levou 200 alunos aos Jogos Olímpicos de Los Angeles onde fizeram uma demonstração que aguçou a curiosidade de todos os presentes. O Judô integrou oficialmente os Jogos Olímpicos de Tóquio - 1964 como Desporto Masculino. Graças à persistência da americana Rusty Kanokogi e de outras mulheres judocas, o Judô Feminino tornou-se Modalidade Olímpica em Barcelona - 1992. Hoje, a Modalidade também integra os Jogos Paralímpicos e os Jogos Olímpicos Especiais. As competições internacionais de Judô são organizadas pela Federação Internacional de Judô - IJF e no Brasil pela Confederação Brasileira de Judô - CBJ criada em 1969. Em Munique - 1972, Chiaki Ishii, japonês naturalizado brasileiro, conquistou o primeiro triunfo Olímpico brasileiro de muitos que estariam por vir, em cada evento o Pódio sempre foi conquistado por algum brasileiro.

As lutas de Judô são praticadas num tatame de formato quadrado de 14 a 16 metros de lado onde para vencer o oponente é preciso derrubá-lo de forma que as costas toquem o solo, pode-se também segurá-lo por até 20 segundos ou fazer com que o adversário desista. Vale lembrar que são proibidos socos e chutes, não são permitidos golpes no rosto ou que possam provocar lesões no pescoço ou vértebras. Quando estes golpes são praticados, o lutador é penalizado e em caso de reincidência, pode ser desclassificado.

A graduação no Judô tem duas grandes etapas chamadas Kyu e Dan. A etapa iniciante é o Kyu e se apresenta em ordem decrescente, representada pela cor expressa na faixa do kimono. Nesse sentido, a faixa branca é 8o kyu, a faixa cinza é o 7o kyu, a faixa azul é o 6o kyu, a faixa amarela é o 5o kyu, a faixa laranja é o 4o kyu, a faixa verde é o 3o kyu, a faixa roxa é o 2o kyu e a faixa marron é o 1o kyu. A segunda parte da graduação chama-se Dan e ao contrário do kyu, é desenvolvido de modo crescente. Neste momento o praticante já finalizou a introdução à luta e passa para o aperfeiçoamento. São dez fases de dan: o primeiro, segundo, terceiro, quarto e quinto dan são representados pela faixa preta com listras brancas que vão de uma a cinco, conforme o dan. A faixa branca marca o sexto, sétimo e oitavo dan. E as duas maiores graduções são nono e décimo dan que são marcadas pelo uso da faixa vermelha.



MEDALHISTAS BRASILEIROS NO JUDÔ
JUDOCA MASCULINO MEDALHA MODALIDADE OLIMPÍADA JUDOCA MASCULINO MEDALHA MODALIDADE OLIMPÍADA
Chiaki Ishii Bronze Peso Meio-Pesado (-93kg) Munique - 1972 Douglas Vieira Prata Peso Meio-Pesado (-95kg) Los Angeles - 1984
Luiz Onmura Bronze Peso Leve (-71kg) Los Angeles - 1984 Walter Carmona Bronze Peso Médio (-86kg) Los Angeles - 1984
Aurélio Miguel Ouro Peso Meio-Pesado (-95kg) Seul - 1988 Rogério Sampaio Ouro Peso Meio-Leve (-65kg) Barcelona - 1992
Aurélio Miguel Bronze Peso Meio-Pesado (-95kg) Atlanta - 1996 Henrique Guimarães Bronze Peso Meio-Leve (-65kg) Atlanta - 1996
Tiago Camilo Prata Peso Leve (-73kg) Sidney - 2000 Carlos Honorato Prata Peso Médio (-90kg) Sidney - 2000
Leandro Guilheiro Bronze Peso Leve (-73kg) Atena - 2004 Flavio Canto Bronze Peso Meio Médio (-81kg) Atenas - 2004
Leandro Guilheiro Bronze Peso Leve (-73kg) Pequim - 2008 Tiago Camilo Bronze Peso Super-Médio (-81kg) Pequim - 2008
Felipe Kitadai Bronze Peso Ligeiro (-60kg) Londres - 2012 Rafael Silva Bronze Peso Pesado (+100kg) Londres - 2012
Rafael Silva Bronze Peso Pesado (+100kg) RIO - 2016
JUDOCA FEMININA MEDALHA MODALIDADE OLIMPÍADA JUDOCA FEMININA MEDALHA MODALIDADE OLIMPÍADA
Ketleyn Quadros Bronze Peso Leve (-57kg) Pequim - 2008 Sarah Menezes Ouro Peso Ligeiro (-48kg) Londres - 2012
Mayra Aguiar Bronze Peso Meio-Pesado (-78kg) Londres - 2012 Rafaela Silva Ouro Peso Leve (-57kg) RIO - 2016
Mayra Aguiar Bronze Peso Meio-Pesado (-78kg) RIO - 2016


O Judô nos Jogos Olímpicos - RIO 2016 -

A Modalidade Judô, nos Jogos Olímpicos - RIO 2016, foi realizada entre os dias 6 e 12 de agosto, com a disputa de quatorze Provas, sete Masculinas e sete Femininas nas Modalidades decritas no segundo quadro ao lado. Em cada disputa os atletas dispõem de cinco minutos para os homens e quatro minutos para as mulheres para decidirem a luta. No caso de empate, há uma prorrogação até que um dos competidores marque o ponto da vitória.

PARTICIPAÇÃO NO JUDÔ
TORNEIOS MASCULINO E FEMININO
137 Países
392 Judocas
14 Provas
56 Medalhas
MODALIDADES DE PROVAS NO JUDÔ
TORNEIO MASCULINO TORNEIO FEMININO
Peso Ligeiro - Até 60kg Peso Ligeiro - Até 48kg
Peso Meio-Leve - Até 66kg Peso Meio-Leve - Até 52kg
Peso Leve - Até 73kg Peso Leve - Até 57kg
Peso Meio-Médio - Até 81kg Peso Meio-Médio - Até 63kg
Peso Médio - Até 90kg Peso Médio - Até 70kg
Peso Meio-Pesado - Até 100kg Peso Meio-Pesado - Até 78kg
Peso Pesado Acima de 100kg Peso Pesado - Acima de 78kg

A pontuação do Judô varia conforme o tipo de golpe: Ippon, Wazari e Yuko. O Ippon garante a vitória e pode ocorrer em três situações: quando o judoca derruba o adversário com força e velocidade, e este cai de costas; quando um dos competidores é imobilizado por 20 segundos; ou quando um lutador desiste em função de uma chave de braço ou de um estrangulamento.

O Wazari é uma técnica quase perfeita: o adversário é derrubado, mas o golpe não tem todos os elementos necessários para ser considerado um Ippon, ou o competidor é imobilizado por pelo menos 15 segundos, mas menos que 20. Dois wazari equivalem a um Ippon. O terceiro golpe é o Yuko, que ocorre quando o rival cai de lado ou é imobilizado por ao menos 10 segundos, mas menos que 15. Os Eventos com Medalha são realizados em sistema de eliminação direta.

O Palco do do Judô e das Lutas Olímpicas nos Jogos Olímpicos - RIO 2016 foi a Arena Carioca 2, uma Arena definitiva que faz parte do Centro Olímpico do Rio - COR.

Os combates de repescagem permitem que os perdedores das Quartas de Final possam competir pelas Medalhas de Bronze, sendo duas para cada Categoria de Peso. Nenhum esporte rendeu tantas Medalhas Olímpicas ao Brasil quanto o Judô, o país chegou a 22 Pódios. No RIO 2016 o Brasil participou com catorze judocas sendo sete Masculinos e sete Femininas conseguiu três Medalhas: um Ouro com Rafaela Silva e dois Bronzes com Mayra Aguiar e Rafael Silva.



EQUIPE DO BRASIL NO JUDÔ
EQUIPE MASCULINA
MODALIDADE JUDOCA
Até 60 kg Felipe Kitadai
Até 66 kg Charles Chibana
Até 73 kg Alex William Pombo Silva
Até 81 kg Victor Penalber
Até 90 kg Tiago Camilo
Até 100 kg Rafael Buzacarini
Acima de 100 kg Rafael Silva
EQUIPE FEMININA
MODALIDADE JUDOCA
Até 48 kg Sarah Menezes
Até 52 kg Erika Miranda
Até 57 kg Rafaela Silva
Até 63 kg Mariana Silva
Até 70 Kg Maria Portela
Até 78 k Mayra Aguiar
Acima 78 kg Maria Suelen Altheman


PREMIAÇÃO DO JUDÔ
TORNEIO MASCULINO
MODALIDADES DIA OURO PRATA BRONZE
Até 60 kg 6 ago Beslan Mudranov - RUS Yeldos Smetov - KAZ Naohisa Tokato - JPN / Diyorbek Urozboev - UZB
Até 66 kg 7 ago Fabio Basile - ITA Baul An - KOR Rishod Sobirov - UZB / Masashi Ebinuma - JPN
Até 73 kg 8 ago Sholei Ono - JPN Rustam Orujov - AZE Lasha Shavdatuashvili - GEO / Dirk Van Tichelt - BEL
Até 81 kg 9 ago Klasan Khalmurzaev - RUS Tsavis Stevens - USA Sergiu Toma - UAE / Takamori Nagase - JPN
Até 90 kg 10 ago Mashu Baker - JPN Varlam Lipartelian - GEO Donghan Gwak - KOR / Xunzhao Cheng - CHN
Até 100 kg 11 ago Lukas Krpalek - CZE Elmar Gasimov - AZE Cyrille Maret - FRA / Ryunosuke Haga - JPN
Acima de 100 kg 12 ago Teddy Riner - FRA Hisayoshi Harasawa - JPN Rafael Silva - BRA / Or Sasson - ISR
TORNEIO FEMININO
MODALIDADES DIA OURO PRATA BRONZE
Até 48 kg 6 ago Paula Pareto - ARG Bokyeong Jeong - KOR Ami Kondo - JPN / Otgontsetseg Goldabrakh - KAZ
Até 52 kg 7 ago Majlinda P. Kelmendi - KOS Odette Giuffrida - ITA Misato Nakamura - JPN / Natalia Kuziutina - RUS
Até 57 kg 8 ago Rafaela Silva - BRA Sumiya Dorjsuren - MGL Telma Monteiro - POR / Kaori Matsumoto - JPN
Até 63 kg 9 ago Tina Trstenjak - SLO Clarisse Agbegnenou - FRA Yarden Gerbi - ISR / Anicka Van Emden - NED
Até 70 kg 10 ago Haruka Tachimoto - JPN Yuri Alvear - COL Sally Conway - GBR / Laura Vargas Kock - GER
Até 78 kg 11 ago Kayla Harrison - USA Andrey Scheumeo - FRA Mayra Aguiar - BRA / Anamari Valensek - SLO
Acima de 78 kg 12 ago Emilie Andeol - FRA Idalys Ortiz - CUB Kanae Yamabe - JPN / Song Yu - CHN


Eventos do Judô

O conjunto acima mostra cenas das vitórias das brasileiras no Judô: Mayra Aguiar que conquistou a Medalha de Bronze na Modalidade Até 78 kg Feminino em 11 de agosto e Rafaela Silva que conquistou Medalha de Ouro na Modalidade Até 57 kg Feminino em 8 de agosto.

Retorna ao Início da Página



Lutas Olímpicas

Um Breve Histórico do Esporte Lutas Olímpicas

Lutar é uma das atividades esportivas mais antigas existentes, muito antes de ser considerada como um esporte, a luta tinha o conceito básico de defesa e de ataque, no sentido de demonstrar superioridade em um confronto. Há registros de lutas em praticamente toda a história dos povos, passando por babilônicos, egípcios, japoneses, chineses, gregos e romanos, desde milhares de anos antes de Cristo até hoje. Sendo praticada por tanto tempo e em tantos lugares, obviamente há os mais diversos tipos de luta espalhados pelo mundo, sendo difícil determinar exatamente uma origem. A Luta Olímpica já participava dos Jogos Olímpicos da Antiguidade fazendo parte do Pentatlo desde o Século VIIa.C., mas ao longo dos anos e das edições das Olimpíadas, a Modalidade foi evoluindo e ganhando particularidades. O modelo de luta dos gregos inspirou os franceses a criar, no início do Século XIX o estilo hoje conhecido como Luta Greco-Romana dando o primeiro passo para a profissionalização.

Nos Jogos de Atenas - 1896, a Luta Greco-Romana já compareceu no Programa Olímpico, na Categoria Superpesado. O primeiro medalhista de Ouro foi o alemão Carl Schuhmann. Em Saint Louis - 1904, os Jogos passaram a contar com o Estilo de Luta Livre, a única disputada naquele ano. Esta Modalidade tem uma história bem mais recente tendo surgido, na segunda metade do Século XIX, em terras britânicas. Foram os imigrantes ingleses que levaram o Estilo de Luta Livre para os Estados Unidos no final do Século XIX. Essa versão da Modalidade já chegou dividida em várias categorias de Peso: Galo, Pena, Leve e Superpesado.

O único lutador que ganhou Medalha de Ouro nos dois Estilos de Luta Olímpica foi o estoniano Kristjan Palusalu, em Berlim - 1936. Um dos maiores destaques da história da Luta Olímpica foi o lutador da Rússia Aleksander Karelin, que ganhou três Medalhas de Ouro no estilo Greco-Romano e uma Medalha de Prata. O Brasil nunca ganhou Medalha neste esporte nos Jogos Olímpicos, ganhou apenas uma Medalha de Prata no Mundial de Luta Olímpica com a lutadora Aline da Silva Ferreira no Campeonato Mundial Senior de 2014, realizado no Uzbequistão, na categoria 75kg.

O primeiro Torneio Feminino Olímpico foi disputado em Atenas - 2004, apenas no Estilo Livre. Em Londres - 2012, a Luta Olímpica distribuiu 18 Medalhas de Ouro no total das duas Modalidades, sendo os maiores vencedores: a Rússia, o Irã e o Japão. Os russos conquistaram quatro Ouros: três no Masculino e um no Feminino. As disputas entre as mulheres foram dominadas pelas japonesas, que ficaram com três Ouros. Já os iranianos subiram ao lugar mais alto do pódio três vezes entre os homens. A União Soviética participou da Luta Greco-Romana em Jogos Olímpicos somente entre Helsinque - 1952 e Seul - 1988, no entanto lidera o ranking de Medalhas, com um total de 60, incluindo 34 de Ouro.

Força física e estratégia são as duas principais qualidades que um atleta de Luta Greco-Romana deve ter para ser bem sucedido neste esporte. O objetivo principal nos dois Estilos é encostar e manter as costas com os dois ombros do adversário no tapete. Quando isso ocorre, o lutador que impôs o "encostamento" ao adversário ganha a Luta. Porém, a vitória também pode ocorrer por "superioridade técnica", isto ocorre quando um lutador fica com 10 pontos de vantagem em relação ao seu adversário. Se a luta terminar, sem que nenhuma das situações anteriores ocorra, vence o lutador que somar maior número de pontos.

Cada Luta é disputada em dois tempos de 3 minutos com um intervalo entre eles de 30 segundos. Os pontos são concedidos pelos árbitros de acordo com os golpes e movimentos realizados pelos lutadores, sendo os principais o Takedown e o Suplê. Não são permitidos: joelhadas, cotoveladas, puxar o cabelo, atingir os olhos, estrangulamentos, entre outros golpes de caráter violento ou desleal. A luta deve ocorrer apenas na área do círculo azul escuro do tapete e o anel laranja é considerado uma área em que não pode ocorrer luta. Quando os lutadores vão para a área laranja o árbitro interrompe a Luta, recomeçando a seguir no centro do círculo azul.

A principal diferença entre as duas modalidades de luta diz respeito á parte do corpo que deve receber os golpes e as que devem se movimentar. Na Greco-Romana, o lutador pode utilizar somente os braços e tronco para realizar defesa e ataque. No Estilo Livre o lutador pode usar qualquer parte do corpo para atacar e defender. As competições de Luta Olímpica, assim como os outros assuntos e ações do esporte, são realizados pela United World Wrestling - UWW, cuja sede fica na cidade suíça de Corsier-sur-Veve.



As Lutas Olímpicas nos Jogos Olímpicos - RIO 2016 -

A Modalidade Lutas, nos Jogos Olímpicos - RIO 2016, foi realizada entre os dias 14 e 21 de agosto, com a disputa de dezoito provas. As Lutas de Estilo Livre ocorreram em seis Modalidades, para Lutadores do sexo Masculino: 57 kg; 65 kg; 74 kg; 86 kg; 97 kg e 125 kg; e seis Modalidades para Lutadoras do sexo Feminino: 48 kg; 53 kg; 58 kg; 63 kg; 69 kg e 75 kg.

As Lutas do Estilo Greco-Romano são apenas entre Lutadores do sexo Masculino: 59 kg; 66 kg; 75 kg; 85 kg; 98 kg e 130kg.

PARTICIPAÇÃO NAS LUTAS OLÍMPICAS
ESTILO GRECO-ROMANO E ESTILO LIVRE
68 Países
353 Lutadores
ESTILO GRECO-ROMANO
TORNEIO MASCULINO
6 Provas 24 Medalhas
ESTILO LIVRE
TORNEIOS MASCULINO E FEMININO
12 Provas 48 Medalhas

Ao conquistar a Medalha de Ouro, em Estilo Livre na Categoria 58 kg Feminino nos Jogos Olímpicos - RIO 2016, a japonesa Kaori Icho, do Japão, se tornou a primeira lutadora a levar a Medalha de Ouro nas quatro edições de Jogos Olímpicos de que participou e também a primeira mulher a vencer a mesma Prova Olímpica quatro vezes. Kaori poderia ter dividido o feito com a japonesa Saori Yoshida se ela também tivesse conquistado a sua quarta Medalha de Ouro no Brasil, mas ela ficou com a Medalha de Prata, na Modalidade 53 kg Feminino.

O Palco das Lutas Olímpicas e do Judô foi Arena Carioca 2, uma Arena definitiva que faz parte do Centro Olímpico do Rio - COR.

O Brasil esteve representado por cinco lutadores na RIO 2016: um homem: Eduard Soghomonyan - 130 kg e quatro mulheres: Joice Souza da Silva - 58 kg; Lais Nunes de Oliveira - 63 kg; Gilda Maria de Oliveira - 69 kg e Aline da Silva Ferreira - 75 kg, participando de cinco eventos. O melhor desempenho brasileiro coube a Aline da Silva Ferreira que terminou na nona posição na categoria 75 kg Feminina.



PREMIAÇÃO NAS LUTAS OLÍMPICAS - ESTILO GRECO-ROMANO
TORNEIO MASCULINO
MODALIDADES DIA OURO PRATA BRONZE
59 kg 14 ago Ismael Borrero Molina - CUB Shinobu Ota - JPN Elmurat Tasmuradov - UZB / Stig-André
Berge - AZE
66 kg 16 ago Davor Stefanek - SRB Migran Arutyunyan - ARM Shmagi Bolkvadze - GEO / Rasul Chunayev - AZE
75 kg 14 ago Roman Vlasov - RUS Marden Overgaard Madsen - DEN Kim Hyeon-woo - KOR / Saeid Abdvali
Morad - IRI
85 kg 15 ago Davit Chakvetadze - RUS Zhan Baleniuk - UKR Javid Hamzatov - BLR / Denis Makzymilian Kudia - GER
98 kg 16 ago Artur Aleksanyan - ARM Yasmany Daniel Lugo Cabrera - CUB Cenk Ildem - TUR / Ghasem Gholamreza Rezaei - IRI
130 kg 15 ago Mijaín López Nunes - CUB Riza Kayaalp - TUR Sabah Shariati - AZE / Sergeu Semenov - RUS


PREMIAÇÃO NAS LUTAS OLÍMPICAS - ESTILO LIVRE
TORNEIO MASCULINO
MODALIDADES DIA OURO PRATA BRONZE
57 kg 19 ago Vladimer Khinchega Shvili - GEO Rei Higuchi - JPN Haji Aliyev - AZE / Hassan Sabzali Rahimi - IRI
65 kg 21 ago Soslan Ramonov - RUS Toghrul Asgarov - AZE Frank Chamizo Marquez - ITA / Ikhtiyor
Navruzov - UZE
74 kg 19 ago Hassan Aliazam Yazdani Charati - IRI Aniuar Geduev - RUS Jabrayil Hasanov - AZE / Soner Demirtas - TUR
86 kg 20 ago Abdulrashid Sadulaev - RUS Salim Yasar - TUR Sharifov Sharif - AZE / J'den Michael Tbory
Cox - USA
97 kg 21 ago Kyle Frederick Snyder - USA Khetag Gazyumov - AZE Magomed Idrisovitch Ibragimov - UZB /
Albrert Saritov - ROU
125 kg 20 ago Taha Akgül - TUR Komeil Nemat Ghasemi - IRI Ibragim Saidov - BLR / Geno Petriashvili - GEO
TORNEIO FEMININO
MODALIDADES DIA OURO PRATA BRONZE
48 kg 17 ago Eri Tosaka - JPN Mariya Stadnik - AZE Sun Yanan - CHN / Elitsa Atanasova
Yankova - BUL
53 kg 18 ago Helen Louise Maroulis - USA Saori Yoshida - JPN Nataliya Synyshyn - AZE / Sofia Magdalena
Mattson - SWE
58 kg 17 ago Kaori Icho - JPN Valeriia Koblova Zholobovas - RUS Marwa Amri - TUN / Sakshi Malik - IND
63 kg 18 ago Risako Kawai - JPN Mariya Mamashuk - BLR Yekaterina Larionova - KAZ / Monika Ewa
Michalik - POL
69 kg 17 ago Sara Dosho - JPN Natalia Vorobleva - RUS Elmira Syzdykova - KAZ / Anna Jenny
Fransson - SWE
75 kg 18 ago Erica Elizabeth Wiebe - CAN Guzel Manyurova - KAZ Fengliu Zhang - CHN / Ekaterina Bukina - RUS


Eventos das Lutas Olímpicas

As duas fotos acima mostram o interior da Arena Carioca 2, Palco do Jogos de Judô e Luta Olímpica.

Os quatro conjuntos mostram Lutas realizada em 20 de agosto pela Modalidade de Estilo Livre. O primeiro conjunto acima a Luta realizadas entre Selim Yasar - TUR e
J'Den Michael Tbory Cox - USA, Semifinal de 86kg Masculino, vencida pela turco por 3x1. Selim Yasar da Turquia ganhou a Medalha de Prata da Prova de 86Kg
Masculino e J'Den Michael Tbory Cox dos Estados Unidos ficou com uma das Medalhas de Bronze da mesma Prova. O segundo conjunto acima a Luta realizada entre
Taha Akgül - TUR e Jaryalsaikhan Chuluunbat - MGL, Oitava de Final de 125kg Masculino, vencida pelo turco por 4x0. Taha Akgül da Turquia venceu a Prova de
125kg Masculino e ficou com a Medalha de Ouro.

Os primeiro conjunto abaixo mostra a Luta realizada entre Ibrahim Saidau - BLR e Shabanbay Daulet- KAZ, Oitava de Final de 125 kg Masculino, vencida pelo bielorusso
por 3x0, que depois terminaria com uma das Medalhas de Ouro da Prova. O segundo conjunto abaixo a Luta entre Jamaladdinn Magamedov - AZE e Tervel Ivaybov Dlagnev -
USA, Oitava de Final de 125 kg Masculino, vencida pelo americano por 3x1.



RIO 2016 - REGIÃO DA BARRA DA TIJUCA Basquetebol e Handebol Judô e Lutas Olímpicas Esgrima e Taekwando Ginástica Artística Ginástica Rítmica
Ginástica de Trampolim
Natação
Nado Sincronizado Polo Aquático
Saltos Ornamentais
Ciclismo de Pista
Tênis e Golfe
Levantamento
de Peso e Boxe
Tênis de Mesa
Badmington
Atletismo - Marcha Atlética
Ciclismo de Estrada



Retorna à página JOGOS OLÍMPICOS - RIO 2016
Retorna ao início da página