JOGOS OLÍMPICOS
RIO 2016
Os Jogos Olímpicos
no Rio de Janeiro
RIO 2016
Região do Maracanã
RIO 2016
Região da Barra da Tijuca
RIO 2016
Região de Copacabana
RIO 2016
Região de Deodoro

RIO 2016 - REGIÃO DA BARRA DA TIJUCA

LEVANTAMENTO DE PESO E BOXE



Levantamento de Peso

Um Breve Histórico do Esporte Levantamento de Peso

Uma versão sobre a origem desse esporte vem da China, no ano de 1122 a.C., no final da Dinastia Chow, onde a condição principal para admissão de um soldado no exército era a aprovação no teste de Levantamento de Peso. O ato de lavantar peso sempre foi usado pelo homem para demonstração do quanto é forte, levantavam-se os mais variados objetos: pedras, rochas, ferros e troncos de árvores. Uma lenda conta que o grego Milo de Crotona carregava diariamente nos ombros um pequeno bezerro que, com o passar do tempo crescia e aumentava de peso, fazendo com que o grego desenvolvesse uma extraordinária força e resistência física. Entre lendas e versões, o fato é que na Grécia Antiga, no Século VI a.C., surgiram Competições, inicialmente com o levantamento de grandes pedras e mais tarde com a prática de exercícios com halteres. Mesmo sendo um esporte muito antigo, o Levantamento de Peso jamais fui incluído nos Jogos Olímpicos da Antiguidade, pois era mais usado como uma forma de preparação para outras esportes.

Em 1887, há registros de concursos de Levantamento de Peso disputados na Áustria, dai se propagou surgindo o esporte como conhecemos hoje, em demonstrações que ocorriam principalmente nas tabernas. Nas Competições, eram adotadas barras de metal com grandes bolas de ferro ou chumbo fundidos. Começaram a surgir os Clubes Atléticos de Levantamento de Peso que criaram diversas Competições, apesar da falta de estrutura porque não se fazia anotação dos pesos levantados e nem das diferenças significativas do peso das barras e discos utilizados em cada Torneio. Em 1891, foi realizado na cidade de Londres, na Inglaterra, o Primeiro Campeonato Mundial, com disputas das Modalidades de Levantamento de Peso com uma e com as duas mãos que contou com a participação de 7 atletas representando 6 países.

A primeira Escola de Levantamento de Peso foi fundada em Viena, na Áustria, por Wilhem Turk, campeão do esporte na cidade. Depois foram surgindo as Federações, as primeiras foram na França e na Rússia. O Levantamento de Peso foi incluído na primeira Olimpíada da Era Moderna, em Atenas - 1896, na Grécia e teve como vencedor e o inglês Lauceston Elliot, que levantou 71 kg na Modalidade de Levantamento de Peso com apenas uma mão. Neste ano também começou a fase de regulamentação e uniformização do Levantamento de Peso com a fundação do Haltérophile Club de France, pelo francês Desbonnet. O esporte esteve ausente dos Jogos de Paris - 1900 e voltou em Saint Louis - 1904 nos Estados Unidos, quando o grego Péricles Kakousis levantou 111,67 kg e ficou com a Medalha de Ouro. O esporte voltaria a ficar ausente dos Torneios Olímpicos por mais oito anos, voltando em Antuérpia - 1920. Nesses Jogos, pela primeira vez, os halterofilistas foram divididos em categorias segundo seu peso: Pena, Leve, Médio, Meio-Pesado e Pesado.

O halterofilista que mais obteve sucesso neste esporte em todos os tempos, foi o turco Nim Süleymanoglu, que foi campeão em Seul - 1988, Barcelona - 1992 e Atlanta - 1996. O húngaro Imre Földi foi o recordista que ficou mais tempo com a melhor marca, de 1960 até 1976, enquanto o americano Norbert Schemansky foi o único que conquistou Medalha em quatro jogos, uma Prata em Londres - 1948, Ouro em Helsinque - 1952 e Bronze em Roma - 1960 e Tóquio - 1964. O Levantamento de Peso é regido pela Federação Internacional de Halterofilismo - IWF, fundada em 1920, cuja sede atual fica localizado na cidade de Budapeste, na Hungria. Antes, o esporte era organizado pela Federação Internacional de Luta Livre.

No Brasil a primeira evidência esportiva da Modalidade apareceu em 1898, na cidade da São Paulo, quando um grupo de alemães fundou o Deutscher Athleten Klub. Rio de Janeiro e São Paulo começaram a realizar Torneios de maneira organizada na primeira década do Século XX, mas só em 1980 a Confederação Brasileira de Levantamento de Peso foi criada na cidade do Rio de Janeiro. Dois Presidentes brasileiros incentivaram o esporte: primeiro o Marechal Floriano Peixoto no final do Século XIX, mas foi no Estado Novo de Getúlio Vargas na década de 1930, que a Modalidade ganhou impulso com a sua regulamentação e no segundo governo, em 1946, Getúlio autorizou a criação da Liga Força e Saúde, que um ano depois para a chamar-se Federação Metropolitana de Halterofilismo.

A melhor colocação masculina brasileira em uma Olimpíada foi a de Waldemar Viana da Silveira, em Helsinque - 1952. Ele levantou um total de 362 kg e ficou na décima segunda colocação. Nas décadas de 1950 e 1960, Bruno Barabani tornou-se o principal halterofilista brasileiro, entre os anos de 1980 e 1990, ele foi sucedido por Edmílson Dantas que participou dos Jogos Olímpicos e Pan-Americanos nestas décadas. Maria Elizabete Jorge com 43 anos, foi a primeira representante brasileira no Levantamento de Peso em Olimpíadas, durante os Jogos de Sydney - 2000, justamente quando a Prova Feminina entrou no Programa Oficial dos Jogos. A mineira de Viçosa conseguiu levantar 60 kg no arranque e 75 kg no arremesso, ficando em nono lugar na categoria até 48 kg. Em 2011, durante os Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, o halterofilista brasileiro Fernando Reis conquistou pela primeira vez uma Medalha de Ouro, ao levantar o total de 410 kg - 185 kg no arranque e 225 no arremesso, quebrando o Recorde Pan-Americano.

Atualmente, o Levantamento de Peso encontra-se sob observação por parte do Comitê Olímpico Internacional - COI, por causa da constante desclassificação de halterofilistas por uso de doping. Em Sydney - 2000 e Atenas - 2004, o esporte foi o que teve maior número de atletas pegos no exame antidoping.

Para facilitar o levantamento e evitar lesões, o halterofilista pode utilizar materais específicos: o tênis ou uma bota feita de fibra de carbono que deve ter um salto de 5 cm, para que haja maior estabilidade no piso; um cinto de suporte, de no máximo 12 cm de largura, é preso à cintura do halterofilista para evitar lesões no abdômen e região lombar; as joelheiras também servem para proteger a região do joelho, mas não podem ter mais de 30 cm de largura; a munhequeira tem o mesmo sentido prático e no máximo, 10 cm de largura; o macacão do levantador precisa cobrir as pernas até os joelhos e pode ter mangas. Existe uma exigência de que o cotovelo esteja sempre à mostra.

O halterofilista vencedor da Categoria 105 kg ou mais em geral é aclamado como "o homem mais forte do mundo". Porém os mais leves também podem ser os maiores, o turco Naim Suleymanogiu, conhecido como "o Hércules de Bolso", que tem menos de 1,50 m de altura e pesa 64 kg, pode levantar quase três vezes o próprio peso, ele ganhou Medalha de Ouro entre os Penas em três edições dos Jogos Olímpicos: Atenas - 2004; Pequim - 2008 e Londres - 2012 e foi sete vezes Campeão Mundial.



O Levantamento de Peso nos Jogos Olímpicos - RIO 2016 -

O Levantamento de Peso é composto de dois movimentos: o Arranco ou Arranque e o Arremesso. No primeiro, os competidores devem erguer uma barra com peso a partir do solo até acima da cabeça e sustentá-la por até dois segundos. No segundo, o movimento é dividido: primeiro, o atleta eleva a barra do solo à altura dos ombros e depois posiciona-a acima da cabeça. São permitidas três tentativas e vence quem levanta mais peso na soma das tentativas. Três árbitros observam se o corpo do halterofilista está completamente estendido e se a barra fica imóvel ao fim do movimento.

Os halterofilistas competem em 15 Categorias de peso corporal: oito para homens e sete para mulheres. As Masculinas são: Até 56kg; Até 62 kg; Até 69 kg; Até 77 kg; Até 85 kg; Até 94 kg; Até 105 kg e Acima de 105 kg. As Femininas são: Até 48 kg; Até 53 kg; Até 58 kg; Até 63 kg; Até 69 kg; Até 75 kg e Acima de 75 kg.

A Modalidade Levantamento de Peso, nos Jogos Olímpicos - RIO 2016, foi realizada entre os dias 6 e 16 de agosto, com a disputa das quinze Provas. O Brasil esteve representado por cinco halterofilistas, três homens e duas mulheres, participando de cinco Eventos. O melhor desempenho brasileiro coube a Rosane dos Reis Santos que terminou na quinta posição na Categoria 53 kg Feminina, e a Fernando Saraiva Reis que ficou em quinto lugar na Categoria Acima de 105 kg Masculina.

As Provas de Levantamento de Peso no RIO 2016 foram disputadas no Rio Centro principal Centro de Convenções e Exposições da cidade, tendo o Levantamento de Peso utilizado o Pavilhão 2.

PARTICIPAÇÃO NO LEVANTAMENTO DE PESO
TORNEIOS MASCULINO E FEMININO
93 Países
258 Halterofilista
15 Provas
45 Medalhas
EQUIPE DO BRASIL NO LEVANTAMENTO DE
PESO
MODALIDADE HALTEROFILISTAS
EQUIPE MASCULINA
Até 85 kg Welisson Rosa da Silva Até 105 kg Mateus Filipe Gregorio Machado
Acima 105 kg Fernando Saraiva Reis
EQUIPE FEMININA
Até 53 kg Rosane dos Reis Santos Até 75 kg Jaqueline Antonia Ferreira


PREMIAÇÃO DO LEVANTAMENTO DE PESO
TORNEIO MASCULINO
MODALIDADES DIA OURO PRATA BRONZE
Até 56 kg 7 ago Qingquan Long - CHN Chol Yun Om - PRK Sinphet Kruaithong - THA
Até 62 kg 8 ago Oscar Albeiro Figueroa Mosqueira - COL Eko Yuli Irawan - INA Farkhad Kharki - KAZ
Até 69kg 9 ago Zhiyong Shi - CHN Danyiar Ismayilov - TUR Luis Javier Mosquera Lozano - COL
Até 77 kg 10 ago Nijat Rahimov - KAZ Xiaojun Lyu - CHN Mohamed Mahmoud - EGY
Até 85 kg 12 ago Kianoush Rostami - IRI Tao Tian - CHN Gabriel Sincraian - ROU
Até 94 kg 13 ago Sohrab Moradi - IRI Vadzim Straltsou - BLR Aurimas Didzbalis - LTU
Até 105 kg 15 ago Ruslan Nurudinov - UZB Simon Martirosyan - ARM Alexandr Zaichikov - KAZ
Acima de 105 kg 16 ago Lasha Talakhadze - GEO Gor Minasyan - ARM Irakli Turmanidze - GEO
TORNEIO FEMININO
MODALIDADES DIA OURO PRATA BRONZE
Até 48 kg 6 ago Sopita Tanasan - THA Sri Wahyni Agustiani - INA Hiromi Miyake - JPN
Até 53 kg 7 ago Shu-Ching Hsu - TPE Hidilyn Diaz - PHI Jin Hee Yoon - KOR
Até 58 kg 8 ago Sukanya Srisurat - THA Pimsiri Sirikaew - THA Hsing-Chun Kuo - TPE
Até 63 kg 9 ago Wei Deng - CHN Hyo Sim Choe - PRK Karina Goricheva - KAZ
Até 69 kg 10 ago Yanmei Xiang - CHN Zhagira Zhapparkul - KAZ Sara Ahmed- EGY
Até 75 kg 12 ago Jong Sim Rim - PRK Darya Naumava - BLR Lidia Valentin Perez - ESP
Acima de 75 kg 14 ago Suping Meng - CHN Kuk Hyang Kim - PRK Sarah Elizabeth Robles - USA


Eventos do Levantamento de Peso

A fotos mostram em sequência os halterofilistas: Shu-Ching Hsu de Taipé Chinesa que ganhou a Medalha de Ouro na Categoria Até 53 kg Feminina; Sarah
Elizabeth Robles dos Estados Unidos que ganhou a Medalha de Bronze na Categoria Acima de 75 kg Feminina; Lasha Talakhadzer da Geórgia que ganhou
Medalha de Ouro na Categoria Acima de 105 kg Masculino e Nijat Rahimov do Cazaquistão que ganhou a Medalha de Ouro na Categoria Até 77 kg Masculino
comemorando a vitória junto com seu treinador. As fotos foram obtidas na Internet no site do Globo Esporte.

Retorna ao Início da Página



Boxe

Um Breve Histórico do Esporte Boxe

Há registros da existência do Boxe nos longiquos anos de 3.000 a.C. no Egito. Mas foi na Grécia Antiga, no século 7 a.C. que a prática começou a tomar cara de esporte, mas a história do Boxe, é cheia de altos e baixos, muito embora tenha feito parte das Olimpíadas da Grécia Antiga nos Jogos Olímpicos de 688 a.C., na 23a Olimpíada da Antiguidade. Seu vencedor foi Onomasto de Esmirna, que foi quem definiu as regras do esporte, mas depois o Boxe declinou e chegou a morrer. Durante o Império Romano, o Boxe passou a ser protagonizado pelos gladiadores, que lutavam com luvas recheadas de metal para atingir o objetivo dos combates, que na maioria terminava com a morte de um dos lutadores. Com o fim do Império, o Boxe desapareceu e só tornou a ser conhecido no Século XVII na Inglaterra.

Tudo era permitido, com exceção de enfiar dedos nos olhos, atacar a região genital, arranhar ou morder. A vitória ocorria quando um dos lutadores já não conseguia continuar a lutar, levantando um dedo para que o juiz percebesse. Nesta época o Boxe era praticado com as mãos nuas, em lutas frequentemente brutais, devido a isto acabou sofrendo intensas mudanças por volta de 1867, com a formulação das Regras de Queensberry, que previa rounds de três minutos, separados por um intervalo de um minuto, além do uso obrigatório das luvas. Essas regras entraram em vigor em 1872. Em 1880, passaram a ser organizadas Competições amadoras da Modalidade nas Categorias: Galo - até 54kg, Pena - até 57kg, Leve - até 63,5kg, Médio - até 73kg e Pesado - qualquer peso.

Quando houve o ressurgimento dos Jogos Olímpicos da Era Moderna, nas Olimpíadas de Atenas - 1896, o Boxe não foi incluído como uma das Modalidades da Competição, mas o Boxe participou dos Jogos de Saint Louis - 1904 e de Londres -1908.

Com o tempo o Boxe passou por algumas mudanças importantes, como: obrigatoriedade do uso do capacete, determinada a partir dos Jogos de Los Angeles - 1984; a adesão ao sistema eletrônico de pontuação, em Barcelona - 1992; e a uniformidade da pontuação das lutas, em Pequim - 2008. Outra mudança significativa ocorreu na última edição dos Jogos, em Londres - 2012: a introdução do Boxe Feminino em três Categorias: Mosca até 51kg; Leve até 60kg e Meio-Pesado até 75kg. Para as Olimpíadas do Rio de Janeiro, a Federação Internacional de Boxe - AIBA que é a encarregada de regulamemntar o Boxe criou um novo sistema para permitir que lutadores profissionais participassem dos Jogos pela primeira vez.

Uma das mais importantes personalidades do Boxe Mundial tinha apenas 18 anos e estava destinado à grandeza quando chegou aos Jogos de Roma - 1968 com um sonho: ganhar a Medalha de Ouro entre os Meio-Pesados. Este norte-americano tinha o nome de Cassius Marcellus Clay, mais tarde, mudou seu nome para Muhammad Ali e se tornou o maior boxeador da história. Quando chegou na Itália, Clay ainda era um ilustre desconhecido do esporte, mas já mostrava o talento que o elevaria ao patamar de lenda. Para chegar ao Ouro, passou pelo belga Yan Becaus, Campeão Olímpico em Melbourne - 1956, pelo soviético Gennady Shatkov, pelo australiano Anthony Madigan e pelo polonês Zbigniew Pietrzykowski e conquistou a Medalha tão sonhada. Trinta e seis anos depois da conquista, já conhecido mundialmente como Ali, ele foi o responsável por acender a Pira Olímpica em Atlanta - 1996 e recebeu do Comitê Olímpico Internacional uma Medalha de Ouro, simbolizando sua conquista de 1968.

No início do Século XX, o Boxe era praticamente desconhecido no Brasil, os poucos praticantes existentes eram emigrantes alemães e italianos, localizados nos estados do Rio Grande do Sul e São Paulo. A primeira luta realizada no Brasil foi em 1913, na cidade de São Paulo, entre um ex-boxeador profissional que fazia parte de uma companhia de ópera francesa e o atleta Luis Sucupira. Embora surrado, Sucupira reconheceu que a técnica poderia superar a força e tornou-se um grande entusiasta do Boxe e seu primeiro grande divulgador. Em 1919 através do marinheiro Góes Neto, que havia aprendido técnicas de Boxe na Europa, em seu retorno da viagem ao Brasil, resolveu fazer algumas exibições no Rio de Janeiro, onde, o sobrinho do Presidente da República, Rodrigues Alves, se apaixonou pelo esporte. Com o apoio de Rodrigues Alves, a difusão do Boxe ficou mais fácil, foram criadas academias e não demorou muito para que o esporte fosse regulamentado por Comissões Municipais de Boxe em São Paulo, Santos e Rio de Janeiro. Isso tudo entre os anos de 1920 e 1921.

Teve início a época áurea do Boxe no país, tendo inclusive a criação de uma espécie de ranking, algo até então inexistente, e uma nova cultura de treinos. Surgiram grandes treinadores como: Batista Bertagnolli e Celestino Caversazio. No Clube Espéria em São Paulo, organizaram uma escola de formação, que traria grandes consagrações para o esporte nos anos seguintes. Em 1933, o Brasil, pela primeira vez, participou de um Campeonato Internacional, o Sul-Americano de Boxe Amador, realizado na Argentina, a Seleção Brasileira era composta apenas de cariocas, porque só no Rio de Janeiro ele havia sido legalizado através de Federação.

Na década de 1940 surgiram entre os brasileiros lutas de nível verdadeiramente internacional e o Brasil teve seu grande momento do Boxe na década de 1950 com Kaled Curi, Luisão, Ralf Zumbano e o grande Éder Jofre, o maior boxeador da história do Boxe Brasileiro. Nesta época Éder Jofre participou dos Jogos Olímpicos de Melbourne - 1956, na Austrália, que o fez despontar no Boxe Profissional. Apesar de não trazer nenhuma Medalha das Olimpíadas, Jofre foi responsável por vários títulos importantes. Éder Jofre despediu-se definitivamente dos ringues em 1976 com um fantástico cartel de 78 lutas e apenas 2 derrotas.

As principais organizações internacionais de Boxe são: Associação Mundial de Boxe - AMB; Conselho Mundial de Boxe - CMB; Federação Internacional de Boxe - FIB; Organização Mundial de Boxe - OMB. O Boxe Olímpico pode se orgulhar de ter lançado alguns dos maiores pugilistas de todos os tempos, a lista de ícones inclui: Muhammad Ali foi Medalha de Ouro em Roma - 1960, ainda com o nome Cassius Clay; Joe Frazier foi Medalha de Ouro em Tóquio - 1964; George Foreman foi Medalha de Ouro na Cidade do México - 1968; Sugar Ray Leonard foi Medalha de Ouro em Montreal - 1976; Evander Holyfield foi Medalha de Bronze em Los Angeles - 1984; Oscar de la Hoya foi Medalha de Ouro em Barcelona - 1992. O boxeador canadense Lennox Lewis venceu o norte-americano Riddick Bowe na final dos Superpesados dos Jogos Olímpicos de Seul - 1988. O boxeador cubano Teófilo Stevenson foi três vezes Campeão Olímpico na categoria Peso Pesado entre 1972 e 1980. O primeiro boxeador brasileiro a conquistar uma Medalha Olímpica foi Servílio de Oliveira nas Olimpíadas da Cidade do México - 1968, ele ganhou a Medalha de Bronze.

A única edição dos Jogos Olímpicos que não houve disputas de Boxe foi em Estocolmo - 1912, porque havia uma lei que proibia a prática do esporte no país, então o Boxe não foi relacionado como Modalidade Olímpica. Os maiores Medalhistas Olímpicos são: Teófilo Steveson e Félix Savón, de Cuba, e Lázló Papp, da Hungria, com três Medalhas para cada. Até hoje, os Estados Unidos são o país com melhor retrospecto na Modalidade, com 49 Medalhas de Ouro desde os Jogos de Saint Louis - 1904.

As lutas profissionais possuem, no máximo, 12 assaltos com 3 minutos cada. Porém, em determinadas competições o número de assaltos pode ser menor. Nas Olimpíadas, por exemplo, são 3 rounds de 3 minutos cada. No final de cada assalto, os lutadores ganham pontos, que são atribuídos por cinco jurados da luta. Estes pontos, definidos por golpes e defesas, servem para definir o ganhador em caso de a luta chegar até o fim. Quando um lutador consegue derrubar o adversário e este permanece por 10 segundos no chão ou não apresentar condições de continuidade na luta, ela termina por nocaute. A luta também pode terminar se um dos treinadores jogar uma toalha branca no ringue. Este gesto significa desistência do lutador comandado pelo treinador que jogou a toalha.



MEDALHISTAS OLÍMPICOS NO BOXE BRASILEIRO
TORNEIOS MASCULINO E FEMININO
BOXEADOR MEDALHA MODALIDADE OLIMPÍADA
Servílio de Oliveira Bronze Peso Mosca (-51kg) México - 1968
Yamaguchi Falcão Bronze Peso Meio-Pesado (-81kg) Londres - 2012
Adriana Araújo Bronze Peso Meio-Leve (-60kg) Londres - 2012
Robson Conceição Ouro Peso Leve (-60kg) RIO - 2016


GOLPES E TERMOS UTILIZADOS DO BOXE
GLINCHE Quando os dois pugilistas estão se segurando ou se apoiando um no outro sem trocar golpes. CRUZADO Golpe lateral de curta distância.
DIRETO Golpe muito potente alicado com a mão que fica atrás da guarda. ESQUIVA Ato de desviar dos golpes do oponente sem usar os braços apenas movimentando o corpo, principalmente a cabeça e o tronco.
GANCHO Golpe aplicado na cintura do oponente. GUARDA Posição inicial do combate com uma perna levemente à frente da outra e as mãos levantadas na altura do rosto.
JAB Golpe curto com a mão que fica á frente da base, no caso de destros com a mão esquerda. KNOCKDOWN Quando um pugilista cai com um soco do adversário.
NOCAUTE Golpe que define o combate e dá a vitória ao pugilista que o aplicou. SPARRING Nome dado ao pugilista que auxilia no treino do outro.
SWING Golpe aplicado de cima para baixo, de maneira lateral, visando o rosto do adversário. UPPERCUT Golpe aplicado de baixo para cima, visando o queixo ou a região dos rins do adversário.


O Boxe nos Jogos Olímpicos - RIO 2016 -

Diferente do Boxe Profissional, nos Jogos Olímpicos a duração das lutas é bem mais curta: para os homens são três rounds de três minutos cada e para as mulheres, são quatro rounds de dois minutos. Como o sistema é Eliminatório, quem perder vai ficando pelo caminho, até sobrarem apenas os dois finalistas. No Boxe, não há disputa de terceiro e quarto lugar: os derrotados nas semifinais também garantem Medalhas de Bronze.

PARTICIPAÇÃO NO BOXE
TORNEIOS MASCULINO E FEMININO
76 Países
287 Boxeadores
13 Provas
52 Medalhas

Ao final de cada round, cinco juízes atribuem notas aos dois pugilistas, mas o resultado só é revelado ao final do combate, um boxeador recebe dez pontos a cada round vencido, enquanto o perdedor ganha entre seis e nove pontos. Aleatoriamente, um computador seleciona as notas de três dos cinco árbitros, e o placar definitivo é obtido ao Final do combate.

Um round, pode ser avaliado por: 10x9 - quando a luta é equilibrada, com leve vantgagem para um dos pugilistas; 10x8 - quando tem um vencedor claro; 10x7 - domínio de um lutador e 10x6 - dando vitória para um dos lutadores. Os árbitros avaliam o pugilista considerando: número de golpes que atinge o adversário; o domínio da luta; superioridade técnica e tática; competitividade e inflações às regras. A prática do Boxe requer o uso dos seguintes equipamentos: luvas, capacetes e protetor bucal.

A Modalidade Boxe nos Jogos Olímpicos - RIO 2016, foi realizada entre os dias 6 e 21 de agosto, com a disputa de treze Provas: dez Masculinas e três Femininas nas Modalidades descritas no quadro ao lado.

O Brasil esteve representado por nove lutadores, sete homens e duas mulheres que participaram de nove Eventos. O melhor desempenho brasileiro coube a Robson Conceição, que ganhou a Medalha de Ouro na Categoria Peso Ligeiro - 60 kg Masculino.

MODALIDADES DE PROVAS NO BOXE
TORNEIO MASCULINO
Peso Mosca-Ligeiro - Até 49kg Peso Meio-Médio - 69kg
Peso Mosca - 52kg Peso Médio - 75kg
Peso Galo - 56kg Peso Meio-Pesado - 81kg
Peso Ligeiro - 60kg Peso Pesado - 91kg
Peso Meio-Médio Ligeiro - 64kg Peso Superpesado - Acima de 91kg
TORNEIO FEMININO
Peso Mosca - 48 a 51kg Peso Ligeiro - 57 a 60kg
Peso Médio - 69 a 75kg

As Provas de Boxe no RIO 2016 foram disputadas no Rio Centro principal Centro de Convenções e Exposições da cidade, o Boxe utilizou o Pavilhão 6.



PARTICIPAÇÃO DO BRASIL NO BOXE
MODALIDADE LUTADORES
EQUIPE MASCULINAS
49 kg Patrick Lourenço 52 kg Julião Neto
56 kg Robenilson de Jesus 60 kg Robson Conceição
64 kg Joedison Teixeira 81 kg Michel Borges
91 kg Juan Nogueira
EQUIPE FEMININAS
60 kg Adriana Araújo 75 kg Andreia Bandeira

O Infográfico utilizados ao lado foi obtido no site: Rede Nacional do
Esporte - http://www.brasil2016.gov.br/pt-br/megaeventos/olimpiadas/modalidades.

PREMIAÇÃO NO BOXE
TORNEIO MASCULINO
MODALIDADES DIA OURO PRATA BRONZE
Peso Mosca Ligeiro - 49 kg 12/14 ago Hasanboy Dusmatov - UZB Yuberjen Herney Martnez Rivas - COL Joahnys Argilagos - CUB / Nico Miguel
Hernandez - USA
Peso Mosca - 52 kg 19/21 ago Shakhobidin Zoirov - UZB Mikhail Aloian - RUS Hu Jianguan - CHN / Yoel Finol Segundo
VEN
Peso Galo - 56 kg 18/20 ago Robeisy Ramirez Carrazar - CUB Shakur Stevenson - USA Akhmadaliev Murodjon - UZB / Vladimir Nikitin - RUS
Peso Ligeiro - 60 kg 14/16 ago Robson Conceição - BRA Sofiane Oumiha - FRA Lázaro Jirge Alvarez - CUB / Dorjnyambuu
Otgondalai - MGL
Peso Meio-Médio Ligeiro
64 kg
19/21 ago Fazliddin Gaibnazarov - UZB Lorenzo Sotomayor Colllazo - AZE Vitaly Dunaytsev - RUS / Artem Harutyunyan
GER
Peso Meio-Médio - 69 kg 15/17 ago Daniyar Yeleussinov - KAZ Shakhram Giyasov - UZB Mohammed Rabii - MAR / Cissokho Souleymane
Diop - FRA
Peso Médio - 75 kg 18/20 ago Arlen Lopez - CUB Bektemir Melikuziev - UZB Kamran Shakhsúvarly - AZE / Misael Uziel
Rodriguez - MEX
Peso Meio-Pesado - 81 kg 16/18 ago Julio César La Cruz - CUB Adilbek Niyazymbetov - KAZ Mathieu Bauderlique - FRA / Joshua Buatsi
GBR
Peso Pesado - 91 kg 13/15 ago Evgeny Tishchenko - RUS Vassiliy Levit - KAZ Rustam Tulaganov - UZB / Erilandy Savón
CUB
Peso Superpesado - Acima
de 91 kg
19/21 ago Tony Uoka Victor James - FRA Joe Joyce - GBR Ivan Dychko - KAZ / Filip Hrgovic - CRO
TORNEIO FEMININO
MODALIDADES DIA OURO PRATA BRONZE
Peso Mosca - 48 a 51 kg 18/20 ago Nicola Adams - GBR Sarah Ourahmoune - FRA Ren Cancan - CHN / Ingrid Lorena Valencia
Victoria - COL
Peso Ligeiro - 57 a 60 kg 17/19 ago Estelle Mossely - FRA Yin Junhua - CHN Anastasiia Beliakova - RUS / Mira Potkonen
FIN
Peso Médio - 69 a 75 kg 19/21 ago Claressa Shields - USA Nouchka Fontijn - NED Dariga Shakimova - KAZ / Li Qian - CHN


Eventos do Boxe

O boxeador Robson Conceição que ganhou a Medalha de Ouro na Categoria Peso Ligeiro - 60 kg Masculino, depois de disputar duas Olimpíadas
Pequim - 2008 e Londres - 2012 e não sair vitorioso, depois de um árduo trabalho de preparação, foi recompensado no RIO 2016 com uma vitoriosa sensacional.
As fotos mostram: a luta com o francês Sofiane Oumiha: a Final da luta em que o brasileiro venceu e o francês que ficou com a Medalha de Prata; e a
comemoração do brasileiro após a premiação. As fotos foram obtidas na Internet no site do Globo Esporte.


RIO 2016 - REGIÃO DA BARRA DA TIJUCA Basquetebol e Handebol Judô e Lutas Olímpicas Esgrima e Taekwando Ginástica Artística Ginástica Rítmica
Ginástica de Trampolim
Natação
Nado Sincronizado Polo Aquático
Saltos Ornamentais
Ciclismo de Pista
Tênis e Golfe
Levantamento
de Peso e Boxe
Tênis de Mesa
Badmington
Atletismo - Marcha Atlética
Ciclismo de Estrada



Retorna à página JOGOS OLÍMPIOCOS - RIO 2016
Retorna ao início da página