RIO 2007 Os Jogos Pan-americanos
no Rio de Janeiro
Os Locais
das Competições
Momentos de
Grandes Emoções
Os Jogos Parapan-
americanos

OS LOCAIS DAS COMPETIÇÕES

COMPETIÇÕES REALIZADAS NA BARRA DA TIJUCA



Clube Marapendi -

O Clube Marapendi fica localizado na Barra da Tijuca, na Avenida das Américas, serve habitualmente de palco para a realização de várias etapas da Copa Davis no Brasil. O Clube foi utilizado como base das competições de Tênis em quadra de saibro dos XV Jogos Pan-americanos - RIO 2007 e nele foram também realizadas as provas de Tênis em Cadeira de Rodas do Parapan.

O Clube conta com uma quadra principal com capacidade que pode receber 5.000 pessoas e nove quadras auxiliares. As partidas finais dos jogos de Tênis do Pan, no entanto tiveram de ser realizadas em outro local devido ao mau tempo e aos estragos causados às quadras pelos fortes ventos.

O Brasil esteve representado no Tênis pelos atletas: Thiago Alves; Marcos Daniel; Flávio Saretta; Joana Cortez; Teliana Pereira e Jenifer Widjaja. Obteve uma Medalha de Ouro individual com Flávio Saretta e uma Medalha de Bronze em dupla feminina para Joana Cortez e Teliana Pereira.


Clube Marapendi, foto copiada do site oficial dos Jogos
Pan-americanos: http://www.rio2007.org.br.
Retorna ao Início da Página



Complexo Esportivo Cidade dos Esportes -

Um dos locais que mais sofreu modificações para os XV Jogos Pan-americanos foi o Autódromo Internacional Nelson Piquet do Rio de Janeiro, não em si próprio, mas em seu terreno, porque ele acolheu três grandes equipamentos que foram construídos visando a realização dos Jogos, mas que são instalações definitivas e de grande benefício para a cidade.

O Autódromo que é administrado pela Prefeitura do Rio e palco de grandes provas internacionais de esporte automotivo passou a receber também uma ampla gama de modalidade de novos esportes e por esta razão passou a ser o Complexo Esportivo Cidade dos Esportes, contando agora, além do Autódromo com: a Arena Multiuso do Rio; o Parque Aquático Maria Lenk e o Velódromo da Barra.

O Complexo Esportivo Cidade dos Esportes teve um papel bastante importante também na realização dos Jogos ParaPan-americanos, dispondo de total acessibilidade e locais apropriados para atender às pessoas poprtadoras de deficiência.

A obra foi gerenciada pela RIOURBE – Empresa Municipal de Urbanização, vinculada à Secretaria Municipal de Obras, com projetos dos arquitetos Carlos Porto e Paulo Casé e indiscutivelmente foi um dos mais importantes legados deixado pelo RIO 2007 para a cidade do Rio de Janeiro, sendo mais um local com capacidade para receber eventos internacionais em grande estilo.




A foto ao lado mostra uma vista aérea do Complexo Esportivo
Cidade dos Esportes, quando os três equipamentos construídos
para os Jogos Pan-Americano ainda se encontravam em obras.
A foto foi publicada na Revista Obras do PAN - página 25, editada
pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro e distribuída
gratuitamente por ocasião dos Jogos.

As duas fotos abaixo são do Autódromo Nelson Piquet, tiradas
durante os Jogos Pan-americanos da Arena Multiuso do Rio.





Arena Multiuso do Rio -

A Arena Multiuso do Rio, como seu nome indica, é um local apropriado para abrigar eventos variados, incluindo modalidades de atividades esportivas olímpicas realizadas em recinto fechado. Durante o RIO 2007 nela se realizaram as competições de Basquete e da Ginástica Artística.

O público que lotou a Arena pode ver a equipe feminina de Basquete ganhar a Medalha de Prata e a equipe masculina obter o tri-campeonato em Jogos Pan-americanos, sem falar da grande emoção de ver a jogadora Janete, com 38 anos, despedir-se da Seleção de Basquete Feminino, após 20 anos de uma carreira de glórias. Janete foi campeã mundial em 1994, Medalha de Prata em Atlanta em 1996, Medalha de Bronze em Sidney em 2000, campeã do Pré-Olímpico do México em 2003, quarto lugar em Atenas em 2004 e quarto lugar no Mundial de 2006.

Mas, a Arena foi palco também das competições de Ginástica Artística, além de ter sido inaugurada com uma grande apresentação dos ginastas que participariam do Pan. Após duas décadas de trabalho sério as equipes brasileiras de Ginástica tiveram uma atuação digna de destaque. O caminho que foi aberto por Soraya Carvalho e Luísa Parente tem hoje representantes capazes de disputar medalhas entre as melhores ginastas do mundo.

Na Ginástica Artística feminina são realizadas provas nas modalidades: Salto sobre o Cavalo; Trava de Equilíbrio; Barras Assimétricas e Solo. Na masculina o número de provas é maior: Salto sobre o Cavalo; Trave de Equilíbrio; Argolas; Barra Fixa; Barras Paralelas e Solo.

A equipe masculina contou com a presença de Diego Hypolito, nosso melhor ginasta e mais Danilo Nogueira, Mosiah Rodrigues, Victor Rosa, Luis Anjos e Adan Santos. A equipe feminina contou com Daiane dos Santos e Daniela Hypolito, já estrelas consagradas e novas estrelas que começam a se destacar como: Jade Barbosa que teve um grande desempenho; Lais Souza; Ana Silva e Khiuane Dias.

Na Ginástica Artística o Brasil conquistou duas Medalhas de Prata para equipes, uma para a feminina e a outra para a masculina e nas provas individuais, conquistou quatro Medalhas de Ouro:

  • duas com Diogo Hypolito nas modalidades salto sobre o cavalo e solo;

  • uma com Mosiah Rodrigues na modalidade barra fixa e

  • uma com Jade Barbosa na modalidade salto sobre o cavalo;

e cinco Medalhas de Bronze:

  • uma com Danilo Nogueira na modalidade barra fixa;

  • uma com Daniele Hypolito na modalidade trave de equilíbrio;

  • duas com Lais Souza nas modalidades salto sobre o cavalo e barras assimétricas e

  • uma com Jade Barbosa na modalidade solo.

A Arena é hoje o mais moderno ginásio da América Latina, possue arquibancadas móveis capaz de aumentar sua capacidade de 13 para 15 mil espectadores, estas peças se apresentam como um gaveteiro que ficam guardadas na base do vão oco da arquibancada principal e quando armadas avançam pouco mais de 6 metros à frente, como pode ser visto da foto, o torcedor que fica instalado nestas arquibancadas pode assistir às competições em local altamente privilegiado, pois pode estar mais perto de cada lance.

O projeto da Arena seguiu todas as especificações exigidas pela Federação Internacional de Basquete – FIBA e pela Federação Internacional de Ginástica – FIG, ocupa 50 mil metros quadrados de área construída.

A Arena conta com quatro conjuntos de rampas, uma em cada canto do prédio e o acesso é feito por meio de uma passarela. Possui linhas retas e uma cobertura de suporte metálico, dando-lhe um visual espetacular. Seu salão de jogos tem dimensões mínimas de: 40mx 60m x16m e dispõe de uma área de treinamento separada, com as seguintes medidas: 32m x 42m x16 m. O local tem iluminação cênica independente da luz da quadra e uma sonorização, que tem como destaque o teto preparado para que a acústica seja a melhor possível.

A Arena é totalmente climatizada com temperatura ambiente de 25o C. Os dois salões de jogos têm sob a madeira uma camada de borracha que tem como objetivo diminuir o impacto do atleta no piso. Seu placar é digno de nota e se constitui no que há de mais moderno no mundo, sozinho já é um espetáculo à parte.


Foto da Arena Multiuso do Rio quando ainda se encontrava
em obras, tirada pela Alda, sobrinha da responsável pelo site,
numa visita de funcionários da RIOURBE às obras do PAN.


Foto da Arena durante a realização dos Jogos, no segundo
dia da competição de Ginástica Artística, tirada do outro lado
da Avenida.


Foto da Arena tirada da Avenida mas com uma vista mais
próximo do prédio.



Foto da Arena na entrada das bilheterias, podendo se ver
a movimentação do grande público que compareceu às
competições de Ginástica Artística.


Foto da Arena tirada da rampa de entrada focalizando as
bilheterias de entrada, podendo se ver em segundo plano os
prédios localizados próximos da Cidade dos Esportes.



Foto já na entrada do prédio, vendo-se o nome Arena
Olímpica do Rio e o símbolo da competição de Ginástica
Artística, símbolos que estiveram presentes em todos
os locais de competição para chamar a atenção na
modalidade de esporte que estava sendo disputada.

Foto mostrando a arquibancada tendo destaque as instalações
apropriadas para deficientes físicos, com local inclusive para
colocação de cadeira de rodas. Estes locais especiais existem
em todo o ginásio.


Corredor interno do prédio no intervalo dos Jogos diante
de uma das lanchonetes.





Fotos mostrando em detalhe as arquibancadas móveis da Arena que ficam guardadas na base do vão oco da arquibancada
principal e quando armadas avançam pouco mais de 6 metros à frente aumentado a capacidade dos ginásio de 13 para 15 mil
espectadores. Nos Jogos de Basquete as arquibancadas foram utilizadas, mas nas competições de Ginástica elas estavam
engavetadas aumentando a dimensão da quadra.




Fotos mostrando duas vistas das arquibancadas, onde se pode ver a altura da Arena, neste dia de Jogo de Basquete as
arquibancadas móveis estavam abertas dando ao espectador uma visão privilegiada.




Fotos mostrando detalhes da Arena, a primeira do teto metálico que cobre o ginásio e a segunda do grande placar pendurado
no teto que pode ser visto de qualquer local das arquibancadas, as colunas nas extermidades mostram o desempenho de cada
atleta. A parte de baixo mostra o resultado do jogo e a cronometragem. No dia em que a foto foi tirada estava sendo
disputada a final do Basquete feminino entre Brasil e Estados Unidos, quando a seleção americana
derrotou a brasileira, que ficou com a Medalha de Prata.




Fotos mostrando as duas quadras armadas para os Jogos do RIO 2007, a primeira para as competições de Ginástica e a
segunda para os jogos de Basquete.




Quatro fotos da quadra nas competições de Ginástica mostrando os equipamentos onde foram disputadas as diferentes
modalidades: a primeira mostra a quadra do solo; a segunda o salto sobre o cavalo; a terceira as barras assimétricas e a
quarta a trava de equilíbrio. Estes equipamentos são das competições de Ginástica feminina.




Parque Aquático Maria Lenk -

O Parque Aquático Maria Lenk recebeu este nome em homenagem à "Dama das Piscinas", uma mulher que desde os anos 20 do Século XX se destacou na natação brasileira. Foi a primeira atleta feminina do Brasil a participar de uma Olimpíada, a de 1932. Participou também das Olimpíadas de 1936, em 1939 quebrou os recordes mundiais nos 200 e 400 metros e no início dos anos 40 foi a única mulher em uma delegação de nadadores sul-americanos que excursionou pelos Estados Unidos. Em 1942 ajudou a fundar a Escola Nacional de Educação Física da Universidade do Brasil no Rio de Janeiro.

Maria Lenk faleceu aos 92 anos, quando nadava na piscina do Flamengo, cumprindo uma rotina de muitos anos, mas chegou a conhecer o Parque Aquático que levou o seu nome, embora não tenha presenciado sua inauguração, esteve nas obras do Parque pouco antes dos Jogos Pan-americanos. A homenagem do Prefeito César Maia não poderia ser mais justa e o Rio de Janeiro imortalizou o nome desta paulista que viveu a maior parte de sua vida na cidade.

A obra do Parque Aquático obedeceu todos os parâmetros e especificações estabelecidas pela Federação Internacional de Natação – FINA, sua construção foi realizada com a consultoria da PTW Architectes, empresa australiana que está construindo o Parque Aquático para Pequim – 2008 e construiu o das Olimpíadas de Sidney – 2000, pode ser considerado dos mais modernos do mundo e incorpora a mais adiantada tecnologia na área.

Nele foram realizadas todas as competições de natação em todos seus estilos, nado sincronizado e saltos ornamentais e ele recebeu também as provas de natação do Parapan-Americano, estando completamente preparado para ser utilizado por portadores de deficiências.

O Parque é parcialmente coberto e conta com uma piscina olímpica, uma piscina de aquecimento e um tanque para saltos ornamentais, com plataformas de 10 metros e trampolins de 3, 5, 7,5 e 10 metros. O acesso às plataformas é feito por elevadores externo que fornecem maior comodidade aos atletas. Para encher a piscina Olímpica são necessários 3,8 milhões de litros de água. O Parque tem capacidade para receber 8.000 pessoas e sua área construída é de 42 mil metros quadrados.

Na Natação, o Brasil já tem tradição de possuir grandes atletas, como: Tetsuo Okamoto, Silvio Fiolo, Ricardo Prado, Djan Madruga, Rogério Romeno, Fernando Scherer, Gustavo Borges e Joana Prado, que sempre obtiveram importantes colocações em competições internacionais.

Na Natação dos Jogos Pan-americanos foram disputadas 32 provas em cinco modalidades de estilo: livre de 50/100/200/400 e 1500 metros; costas de 100 e 200 metros; peito de 100 e 200 metros; borboleta de 100 e 200 metros e o medley de 200 e 400 metros além dos revezamento de 4x100 e 4x200 para o estilo livre e 4x100 para o estilo medley. As Maratonas Aquática masculina e feminina também fazem parte das competições de Natação.

No RIO 2007 a Natação contou com uma equipe de 36 jovens promissores que tiveram atuação brilhante, conquistando um total de vinte e sete medalhas, sendo doze de Ouro, seis de Prata e nove de Bronze, tendo destaque a equipe masculina que conquistou dez Medalhas de Ouro.

Nas competições de revezamento equipes masculina ganharam: duas Medalhas de Ouro nos 4x100 metros livre com Fernando Silva, Eduardo Deloni, Nicolas Oliveira e César Cielo Filho e 4x200 metros livre com Thiago Pereira, Rodrigo Castro, Lucas Saletta e Nicolas Oliveira; e uma de Prata nos 4x100 metros medley com Thiago Pereira, Henrique Barbosa, Kaio Márcio Almeida e César Cielo Filho.

A equipe feminina ganhou uma Medalha de Prata nos 4x100 metros livre com Tatiana Barbosa, Flávia Delaroli, Monique Ferreira e Rebeca Gusmão e duas de Bronze nos 4x200 metros livre com Tatiana Barbosa, Manuela Lyrio, Mônica Ferreira e Paula Baracho e nos 4x100 metros medley com Fabiola Molina, Tatiana Sakemi, Daiene Dias e Rebeca Gusmão.

Atletas Brasileiros Premiados nas provas individuais de Natação

Caio Márcio Almeida duas de Ouro nos 100 e 200 metros borboleta César Cielo Filho duas de Ouro nos 50 e 100 metros livre Nicholas dos Santos uma de Prata nos 50 metros livres Henrique Barbosa uma de Prata nos 200 metros peito

Gabriel Mangabeira uma de Prata nos 100 metros borboleta Armando Negreiros uma de Bronze nos 400 metros livre Lucas Saletta uma de Bronze nos 200 metros costas Rebeca Gusmão duas de Ouro nos 100 e 200 metros livre
Fabíola Molina uma de Prata nos cem metros costas Monique Ferreira uma de Bronze nos 200 metros livre Flavia Delaroli uma de Bronze nos 100 metros livre Daiene Dias uma de Bronze nos 200 metros borboleta
Gabriela Silva uma de Bronze nos 100 metros borboleta Thiago Vilela Pereira com seus 21 anos ganhou quatro Medalhas de Ouro para o Brasil nos 200 metros costa e peito e nos 200 e 400 metros do medley e uma de Bronze nos 100 metros costas

Nas Maratonas Aquática o Brasil conquistou mais duas Medalhas. A Natação só perdeu para o Atletismo em número de medalhas conquistadas no RIO 2007.

No Nado Sincronizado a equipe do Brasil, formada por Beatriz e Branca Feres; Nayara Figueira; Michele Frota; Caroline Hildebrand; Gláucia Souza; Giovana Sthefan; Lara Teixeira e Pámela Nogueira conquistou a Medalha de Bronze enquanto Caroline Hildebrant e Lara Teixeira obtiveram o Bronze no Dueto Rotina Livre.

Nos Saltos Ornamentais obtiveram medalha para o Brasil os atletas César Castro que recebeu Medalha de Prata e Juliana Veloso com uma de Bronze.




Fotos do Parque Aquático Maria Lenk quando ainda se encontrava em obras, tirada pela Alda, sobrinha da responsável
pelo site, numa visita de funcionários da RIOURBE às obras do PAN. Na segunda foto pode se ver a autora das fotos.



Foto tirada tembém na visita as obras pela equipe da RIO
URBE, mostrando o enchimento das piscinas do Parque.



Foto tirada da Avenida em frente ao Parque em dia de jogo
de Basquete feminino.


As oito fotos a seguir mostram diferentes ângulos de visão da majestosa construção do Parque Aquático Maria Lenk.
A última desta série mostra as bandeiras dos países participantes dos Jogos no pátio da Cidade dos Esportes
.

















Foto mostrando a piscina principal utilizada nas
competições de Natação e Nado Sincronizado e um
dos lados das confortáveis arquibancadas do Parque.


Foto mostrando detalhe da arquibancada e o local em
que ficam câmaras para filmagem na parte mais alta da mesma.



Foto mostrando a parte lateral onde ficava localizado
o pódio e também os dois painéis: um onde onde são apresentadas
as exibições e o outro onde pode se ver o resultado das competições.


Foto do interior do Parque mostrando a piscina de
aquecimento dos atletas e os conjunto de plataforma
utilizado nos Saltos Ornamentais.


Detalhe do conjunto de plataformas do Parque considerados
de excelência pelos espectadores, é formado de plataforma de
10 metros e trampolins de 3, 5, 7, 5 e 10 metros.


Foto que mostra um dos telões onde são apresentadas
as competições que estão sendo realizadas.


Velódromo da Barra -

O Velódromo da Barra, construído de acordo com as especificações de todas as entidades que regem as provas de Ciclismo de Pista e Patinação de Velocidade, é hoje o melhor existente na América Latina, tendo vindo para preencher uma lacuna, porque o Rio de Janeiro não possuía um Velódromo. Os únicos existentes no Brasil eram: os dois de São Paulo e o do Paraná, mas nenhum deles coberto como o do Rio, que tem capacidade para receber 1.500 espectadores.

O Velódromo coberto permite a obtenção de melhor desempenho dos atletas, uma vez que elimina influências naturais como corrente de ar.

No Velódromo foram disputadas as provas de Ciclismo de Pista e Patinação de Velocidade. Suas pistas são dispostas de forma ovalada, uma circundando a outra com dimensão de 250 metros de extensão e 13 metros de largura, tendo no centro os boxes para as bicicletas. A pista foi importada da Holanda e é feita em pinho siberiano.

O Brasil disputou estas provas com uma equipe de catorze atletas no Ciclismo e quatro atletas na Patinação, mas não obteve medalhas. O Ciclismo não é um esporte de prestígio no Brasil, mas o Rio de Janeiro que é a capital nacional de bicicleta, com um Velódromo logo poderá elaborar um calendário de eventos que incentive a prática deste esporte.



Foto do Velódromo da Barra, tirada de dentro da Arena
Multiuso do Rio.
Retorna ao Início da Página



Morro do Outeiro -

O Morro do Outeiro fica localizado próximo do Complexo Cidade dos Esportes e do Complexo Esportivo do Rio Centro. A região recebeu uma pista provisória para abrigar as provas de Ciclismo de Mountain Bike e BMX, mas há planos para que o local, que fica numa imensa área verde de 440 mil m2, seja transformado em um centro permanente para o esporte.

O Brasil apresentou-se nestas competições com uma equipe de três atletas no Mountain Bike e ganhou uma Medalha de Prata com Valeriano Rubens e cinco atletas no BMX ganhando uma Medalha de Prata com Ana Flavia.



Morro do Outeiro, foto copiada do site
oficial dos Jogos Pan-americanos: http://www.rio2007.org.br.
Retorna ao Início da Página



Complexo Esportivo do Riocentro -

O Complexo Esportivo do Riocentro, localizado na Barra da Tijuca, foi inaugurado em 1977 e é o maior centro de exposições e feiras da América Latina, possuindo uma área de 571.000 m2, sendo 100.299 m2 de área construída em um espaço multifuncional distribuído em cinco pavilhões interligados por corredores e o restante de área externa. A versatilidade das suas instalações faz do Riocentro o local apropriado para diferentes formatos de eventos nacionais e internacionais como: congressos; feiras; competições esportivas, shows e formaturas realizadas em seu interior ou ao ar livre.

  • O Pavilhão 1 possui uma sala de exposições de 17.466 m2, além de mezanino com mais de 2.000 m2. Para maior comodidade dos organizadores e também de quem visita o Riocentro, existem projetos para que suas instalações sejam transformadas em um centro de conveniências e serviços.

  • O Pavilhão 2, recentemente reformado, é uma sala de exposições com 15.545 m2 e recebe eventos de médio a grande porte.

  • O Pavilhão 3, além dos 22.062 m2 do salão de exposições possui quatro mezaninos climatizados e auditório para 600 pessoas.

  • O salão de exposições do Pavilhão 4 possui 22.723 m2, quatro mezaninos climatizados e auditório para até 400 pessoas.

  • O Pavilhão 5 ou Pavilhão de Congressos, a área construída corresponde a 28.400 m2, distribuídos em dois pavimentos. O andar térreo tem uma grande sala, com paredes retráteis e assentos removíveis, que recebe até 4.500 pessoas sentadas em formato de auditório. A área permite ainda banquete para até 3.350 pessoas ou recepção para 4.300 convidados. Ainda no andar térreo tem uma moderna sala VIP com entrada independente, sala de imprensa, cozinha industrial, dois camarins, atendimento médico e cais de carga e descarga servem de apoio aos organizadores. No 2o pavimento, um hall de 1 mil m2, quatro salões de 600 lugares - sendo cada um deles divisível em três salões para 200 pessoas, salas de tamanhos variados, lobby e áreas de serviço.

  • O Riocentro possui duas áreas externas freqüentemente locadas para eventos. A primeira, com 21.000 m2, está localizada em frente a um lago natural. A área localizada em frente ao Pavilhão 4, tem 30.000 m2 e infra-estrutura de apoio como camarins e sinalização. O acesso ao estacionamento é facilitado tanto em uma como na outra.

  • O Riocentro possui duas áreas externas freqüentemente locadas para eventos. A primeira, com 21.000 m2, está localizada em frente a um lago natural. A área localizada em frente ao Pavilhão 4, tem 30.000 m2 e infra-estrutura de apoio como camarins e sinalização. O acesso ao estacionamento é facilitado tanto em uma como na outra.

Todos os pavilhões possuem sistema de canaletas subterrâneas a cada 12 metros e podem contar com sistema de som ambiente, lanchonetes, atendimento médico, depósitos, cais de carga e descarga. O Rio centro possui um heliporto e seu estacionamento pode receber cerca de 5.000 automóveis e 60 ônibus. De responsabilidade da Prefeitura do Rio de Janeiro é administrado por uma empresa privada desde maio de 2006.

O Riocentro foi projetado e construído para a realização de eventos de grande porte, de âmbito nacional e internacional, tendo funcionado como sede da Conferência Internacional das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento - ECO 92, do 17o Congresso Mundial de Petróleo 2002 e já recebeu o Papa para o 2o Encontro Mundial do Papa com as Famílias em 1997 que reuniu 190 delegações de 76 países.

Toda esta imensa infra-estrutura não podia deixar de ser aproveitada para os Jogos Pan-americanos e o Riocentro foi totalmente adaptado para, de forma temporária, receber doze modalidades de jogos do Pan e quatro modalidades de Jogos do Parapan, além do Centro de Imprensa (Main Press Center – MPC), instalado no Pavilhão 5 e do Centro de Transmissão dos Jogos (International Broadcasting Center - IBC), instalado no Pavilhão 1. Tendo assim se transformado no Complexo Esportivo do Riocentro.

No Pan-americano foram realizadas no Riocentro as competições: no Pavilhão 2 – Boxe e Levantamento de Peso; no Pavilhão 3A – Esgrima; Ginástica Rítmica; Ginástica de Trampolim e no 3B: Futsal e Handebol; no Pavilhão 4A – Judô; Lutas; Taekwondo e no 4B: Badminton e Tênis de Mesa. No Parapan-americano foram realizadas as provas de: Halterofilismo, Judô, Tênis de Mesa e Voleibol Sentado.

No Riocentro foi o local que concentrou maior número de competições e com o fim dos Jogos Pan-americanos, ele pode comemorar os resultados positivos. Em todas as 12 arenas de competição, atletas brasileiros receberam medalhas. Ao todo foram quarenta e quatro, sendo treze de Ouro, dez de Prata e vinte e uma de Bronze, distribuídas nas seguintes modalidades.

No Boxe o Brasil conseguiu oito medalhas, com uma de Ouro de Pedro Lima, uma de Prata de Everton Lopes e seis de Bronze para: Davi Souza, Myke Carvalho, Graucelio Abreu, Rafael Lima, Antonio Rogério Nogueira e James Dean Pereira. No Levantamento de Peso a equipe brasileira conseguiu uma Medalha de Bronze com Fabrício Mafra.

No Esgrima que se compete nas modalidades: espadas, florete e sabre individual e por equipe em espada e sabre. O Brasil conquistou três Medalhas de Bronze individual com: Clarisse Menezes em espada; Renzo Agresta em sabre e João Souza em florete.

O Brasil obteve as Medalhas de Ouro de Handbol feminino e masculino e a Medalha de Ouro do Futsal. Na Ginástica Rítmica, o Brasil conquistou três Medalhas de Ouro nas modalidades Grupo Geral, Equipe Geral Final 1o Exercício e 2o Exercício, com: Daniela Leite, Tayanne Montovaneli, Luisa Matsuo, Marcela Menezes, Nicole Muller e Natalie Sanchez, além da Medalha de Bronze na prova individual de Aro, com Ana Paula Schewffer . Na Ginástia de Trampolim ganhou a Medalha de Bronze com Giovanne Matheus.

No Judô deu ao Brasil treze medalhas, sendo uma das mais brilhantes atuações do Pan. Na equipe feminina, formada por: Priscila Marques Silva, Mayra Silva, Daniele Polzin, Edinanci Silva, Danielle Zangrando, Danielli Barbosa e Érika Miranda, todas as atletas ganharam medalha, sendo que duas de Ouro para Edinanci e Danielli Zangrando. Na equipe masculina formado por: Tiago Camilo, João Schlittler, Leandro Guilheiro, João Derly, Luciano Correia, Lee Alexandre e Flavio Canto, apenas este último não conquistou a medalha, mas chegou a disputar o bronze. Tiago Camilo e João Derly ganharam o Ouro.

Nas Lutas Luiz Fernandes conquistou uma Medalha de Prata na Luta Greco-romana, Felipe Macedo e Rosangela Conceição Medalhas de Bronze na Luta Livre. No Taekwondo foram obtidas: uma Medalha de Ouro por Diogo Silva; duas Medalhas de Prata por Marcio Ferreira e Natalia Silva e uma Medalha de Bronze por Leonardo Santos, no Badminton a dupla de Guilhermes: Kumasara e Pardo ganharam a Medalha de Bronze e no Tênis de Mesa o Brasil obteve Medalha de Ouro para a equipe formada por: Hugo Hoyama, Thiago Monteiro e Gustavo Tsuboi e nas provas individuais Hugo Hoyama e Thiago Monteiro conqusitaram ainda Medalhas de Bronze.

O público presente torceu, descobriu esportes que não conhecia e se emocionou durante o evento. A primeira Medalha de Ouro do Brasil foi conquistada na arena de Taekwondo do Riocentro. A primeira em esporte coletivo também foi no Riocentro, com o Handebol feminino, assim como o recorde do tenista de mesa Hugo Hoyama que conquistou sua nona Medalha de Ouro em Jogos Pan-americanos, superando o recorde anterior de oito medalhas de Gustavo Borges.


Fotos mostrando os diversos pavilhões do Riocentro, onde foi realizada uma grande parte das competições dos Jogos
Pan-americano. A fotos foram copiadas do site oficial da Riotur: http://www.rio.rj.gov.br/riocentro
.










Retorna ao Início da Página



Complexo Esportivo Cidade do Rock -

A Cidade do Rock, localizada na Barra da Tijuca, próximo do Riocentro, foi criada para abrigar megafestivais de música e ficou famosa internacionalmente pela realização do Rock in Rio I em 1985 e III em 2001, acolhendo um público de 250 mil pessoas em uma única noite.

Este local foi adaptado recebendo instalações temporárias para a execução das competições de Beisebol e Softbol dos Jogos do RIO 2007, com a construção de dois estádios e um campo de treinamento. Os estádios que apresentam a forma apropriada para estas competições, tem capacidade para 3.000 espectadores no de Beisebol e 2.000 espectadores no de Softbol.

Nestas modalidades o Brasil participou com uma equipe masculina de Beisebol e uma equipe feminina de Softbol, mas não conquistou medalhas.



Complexo Esportivo Cidade do Rock, foto copiada do site
oficial dos Jogos Pan-americanos: http://www.rio2007.org.br.

Retorna ao Início da Página



Centro de Bowling -

No Centro de Bowling localizado no Barra Shopping, mais um local da Barra da Tijuca, foi realizado o torneio de Boliche dos Jogos Pan-americanos. O local conta com 20 pistas de alta-tecnologia e teve a vantagem da proximidade com a Vila do Pan e de outros locais de competição.

O Barra Shopping é um dos maiores da cidade e conta com um estacionamento com 9.400 vagas, que serviu também de base estratégica para os torcedores que se dirigiam de carro para as competições, mas que não podiam estacionar próximo aos locais e deixavam o carro no Barra Shopping para pegar um dos ônibus que faziam o circuito das instalações dos jogos.

O Brasil foi representado nesta modalidade por quatro atletas e conquistou uma Medalha de Prata de duplas, com os atletas: Fabio Rezende e Rodrigo Hermes.



Centro de Bowling da Barra, foto copiada da página dos
Jogos Pan-americanos da Wikipedia:
http://www.ptwikipedia.org/wiki/Jogos_Pan-americanos_de_2007.

Retorna ao Início da Página



Centro de Futebol Zico -

O Centro de Futebol Zico é um projeto realizado por um dos maiores jogadores de futebol do Brasil, Arthur Antunes Coimbra – o ZICO, conhecido pelo apelido de Galinho de Quintino, bairro em que nasceu. Zico foi um grande jogador do Flamengo no Rio de Janeiro e da Seleção Brasileira, mas que jogou também no Udinese da Itália e no Kashima Antlers do Japão, após deixar de jogar tem sido técnico de várias equipes em alguns países do mundo.

Em 1990 Zico foi Secretario de Esportes e começou a amadurecer a idéia de criar um Centro Esportivo para treinamento de futebol.

O CFZ foi inaugurado em 12 de julho 1996 levando seu nome e serve também de sede para o CFZ, equipe que disputa a Série B do Campeonato Estadual de Futebol do Rio de Janeiro, fica localizado no Recreio dos Bandeirantes e tem capacidade para receber 386 torcedores. Nos Jogos do RIO 2007, este local foi palco de partidas de Futebol, masculino e feminino.




Centro de Futebol Zico, foto copiada do site:
htpp://www.ziconarede.com.br/centrofzico.
Os Locais das
Competições
Competições Realizadas
na Barra da Tijuca
Competições Realizadas
na Zona Norte
Competições Realizadas
na Zona Oeste
Competições Realizadas
na Zona Sul



Retorna à página RIO 2007
Retorna ao início da página