Tijuca Tijuca - A Praça Saens
Pena e seus Arredores
Tijuca - O Eixo da Rua
Haddock Lobo e seus Arredores
Tijuca - O Eixo da Rua Conde
de Bonfim e seus Arredores
Tijuca - Rua São
Francisco Xavier
Tijuca - Praça Xavier de Brito
e Praça Barão de Corumbá
Tijuca - Os Bairros
da Grande Tijuca
Tijuca - Parque Nacional
da Tijuca

TIJUCA - OS BAIRROS DA GRANDE TIJUCA I



Bairro do Maracanã

A partir da inauguração do Estádio Mario Filho, mais conhecido como Estádio do Maracanã a região ao seu redor, que já era conhecida como Maracanã por causa Rio, ganhou fama e tradição de futebol e se tornou um Bairro independente: O Bairro do Maracanã.

O Estádio e também a Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ, foram construídos no local onde estava localizado o Derby Club, que foi criado em 1850, na casa do Conde Hersberg, genro do Major Suckow, e em 1868 ganhou um hipódromo. Nesta época a cidade tinha quatro hipódromos e a febre do turfe era muito grande, mas esta febre com o tempo foi diminuindo e o hipódromo foi vendido e a região ficou abandonada. Na década de 1940 a região se transformou na Favela do Esqueleto. Em 1949 teve início a construção do Estádio e depois a UERJ ocupou o restante da favela e passou a ter seu principal Campus no local.



Vista do antigo Derby Club. Esta foto foi tirada do livro
Rio de Janeiro - Uma viagem no Tempo de Fernando
da França Leite.


Foto da construção do Estádio, podendo se ver ao fundo
a Pedra da Babilônia. Foto copiada do livro História
dos Bairros - Tijuca
editado por João Fortes Engenharia.

Foto do Bairro do Maracanã tirada do alto do Morro do Corcovado e do Estádio do Maracanã atualmente, fotos tiradas
do prédio da Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ.


Estádio do Maracanã

O Estádio do Maracanã foi inaugurado em 16 de junho de 1950, com o nome de Estádio Jornalista Mário Filho, o primeiro gol feito no Estádio foi do jogador Didi, que jogava no Botafogo Futebol e Regatas e na Seleção Brasileira, num amistoso entre Rio e São Paulo. Foi projetado pelos arquitetos: Rafael Galvão; Pedro Paulo Bastos; Orlando Azevedo e Antonio Dias Carneiro, especialmente para sediar a Copa do Mundo de Futebol de 1950, que foi realizada no Brasil. Mas, para infelicidade dos brasileiros, a Seleção Brasileira perdeu a Copa para o Uruguai, no jogo final, quando o Uruguai venceu o Brasil por 2x1.

Seu maior recorde de público foi obtido nas eliminatórias da Copa do Mundo de 1970, quando nele estiveram presentes 183.341 torcedores, atualmente sua capacidade foi reduzida com a colocação de cadeiras nas arquibancadas, sua área cobre 195.600 m2. O Estádio possui em suas instalações um Complexo Olímpico, composto: do Estádio de Atletismo Célio de Barros; o Parque Aquático Julio de Lamare e o Ginásio Gilberto Cardoso conhecido por Maracanãzinho, um ginásio coberto onde são realizados jogos de futebol de salão, vôlei e basquete. Em volta do Estádio existe a ciclovia Mané Garrincha.

O clássico mais importante do Maracanã foi durante muitos anos o tradicional Fla-Flu, Flamengo e Fluminense, mas atualmente a grande rivalidade do futebol carioca é entre Flamento e Vasco da Gama. O Maracanã sem dúvida alguma se constitui um grande orgulho para toda a Tijuca e seus habitantes já se acostumaram às agitações de suas torcidas.



Vista do Estádio do Maracanã tirada do prédio da UERJ.


Entrada principal do Estádio com a Estátua de
Belini, homenagem à conquista do Bi-campeonato
Mundial de Futebol, em 1962.



Estátua do Belini na entrada do Maracanã e três vistas do
Estádio, a primeira tirada da UERJ, a segunda do Estádio do
Maracanãzinho e a terceira da calçada em frente ao estádio.





Vistas do Ginásio Gilberto Cardoso, conhecido como Maracãzinho, utilizado para jogos e espetáculos diversos.

Vistas do Estádio de Atletimo Célio de Barros.

Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ



A Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ foi fundada m 1950 como Universidade do Distrito Federal, quando o Rio era a Capital Federal, com a mudança da capital para Brasília, passou a ser Universidade Estadual do Estado da Guanabara e em 1979 com a fusão dos Estados da Guanabara e do Rio de Janeiro passou a ser a Universidade Estadual do Rio de Janeiro - UERJ.

Inicialmente funcionou em São Cristóvão, na Rua Fonseca Telles, em 1960 seu Campus principal passou a funcionar no local onde existiu a Favela do Esqueleto, entre a Mangueira, o Maracanã e Vila Isabel, três referências da Cultura Carioca. Atualmente passam por suas salas de aula e por seus corredores cerca de 18.000 alunos e 2.000 professores.







Retorna ao Início da Página



Bairro do Catumbi e do Rio Comprido

Catumbi era um rio nascido em Santa Teresa, em torno do qual nasceu um Bairro típico de ricos proprietários de terra e escravos. Nele foi instalado o primeiro cemitério brasileiro a céu aberto, destinado a não-indigentes, da Irmandade de São Francisco de Paula. O Catumbi e o Rio Comprido se comunicavam pela estrada do Catumbi, hoje Rua Itapiru, nome que recebeu depois do combate na Guerra do Paraguai, no qual perdeu a vida o Coronel Villagran Cabrita. No Catumbi foi iniciado o culto a Nossa Senhora da Salete, que possue no Bairro uma linda Igreja , exemplo da arquitetura em Estilo Néo-Gótico.

O Bairro do Rio Comprido, onde esteve o Quartel General do Exército no tempo de D. João VI, era como Botafogo um Bairro das preferências dos ingleses, que nele dispunham de casa própria ou viviam em pensões de compratriotas, rodeados de vastos parques, deve seu nome ao Rio Comprido que corria atrás dos quintais da Rua Aristides Lobo, onde tinha chácara e residência o Visconde de Jequitinhonha.

No Largo do Rio Comprido ficava o Solar do Conde de Estrela e em suas terras foi aberta a Rua da Estrela. A chácara mais famosa do Bairro era a Casa do Bispo, sua mais longa rua era a Rua Bela Vista, que depois recebeu o nome de Rua Barão de Itapagipe, em homenagem ao Marechal Francisco Cabral Xavier da Silva, português de nascimento e que possuía uma chácara nesta rua, nela vivia também o Conde de Sucena dono de uma casa de artigos religiosos, num solar, onde hoje está instalado o Hospital da Aeronáutica. A chácara de Haddock Lobo ficava entre a Rua da Estrela e o trecho inicial da Rua Barão de Itapagipe.



Igreja de São Pedro.
Os Bairros do Catumbi e do Rio Comprido tiveram sua
urbanização iniciada antes da Tijuca, em 1812. A foto mostra a
Igreja de São Pedro localizada na Avenida Paulo de Frontim
e que é a mais importante do Bairro do Rio Comprido. A
Avenida Paulo de Frontim já foi uma rua de casas imponentes
e belas residências, mas desvalorizou-se com a construção,
passando pelo seu centro e em toda a sua extensão do
Viaduto Paulo de Frontim que dá acesso ao Túnel Rebouças,
e que ligou a Zona Norte, Rio Comprido à Zona Sul, Lagoa.



Casa do Bispo

A Casa do Bispo, que fica na Avenida Paulo de Frontim foi uma das mais belas e nobres residências rurais de todo o Brasil. Sua construção, do início do século XVIII é atribuida ao engenheiro José Fernando Pinto Alpoim. Foi construída para o segundo Bispo do Rio: D. Frei Francisco de São Jerônimo, em terras que pertenciam à Sesmaria dos Jesuítas, na Fazenda do Rio Comprido pertencente ao Reitor do Colégio da Companhia, para servir de casa de campo e chácara para recreio do Bispo.

Depois de passar por várias mãos, em 1765, foi adquirida por Francisco Xavier de Carvalho que a doou ao sexto Bispo da Cidade: Frei Antonio do Desterro. A casa foi legada pelo Bispo ao Bispado da cidade, que em 1873 ali instalou o seu Seminário Maior.




A partir de 1891 e até poucos anos atrás, nela funcionou o Seminário São José. A casa foi tombada pelo Patrimônio Histórico em 1938, em 1980 foi restaurada e hoje pertence à Fundação Roberto Marinho e está sendo utilizada como espaço de arte.

O conjunto original era formado pela casa e por uma capela, ligada à casa por um passadiço, que pode ser visto na gravura de Ender, de 1817, copiada do livro: A História dos Bairros - Tijuca, editado por João Fortes Engenharia, mas a capela e o passadiço não sobreviveram até nossos dias.









Continua na página OS BAIRROS DA

GRANDE TIJUCA II
Continua na página OS BAIRROS DA

GRANDE TIJUCA III





Retorna à página TIJUCA
Retorna ao início da página